IPI zero deve durar até pelo menos o fim do ano

A Selic deve ser mantida em 7,25% na próxima reunião do Copom do Banco Central.

Comentar
Compartilhar
11 NOV 201209h50

A taxa anual de juros, a Selic, deve ser mantida em 7,25% na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC). O anúncio será feito no próximo dia 28. Uma das consequências não diretas da manutenção desse índice é a permanência do IPI zero para automóveis e linhas branca (eletrodomésticos) e marrom (móveis). 

Um dos especialistas de mercado consultados pelo Diário do Litoral, Fernando Wagner Chagas, destaca o erro de previsão do BC, cujo cálculo do centro da meta da inflação apontava para 4,5%este ano. “O índice se afasta do centro da meta esperada e deve ficar entre 5,4% e 5,6% este ano”.
 
Segundo o consultor, um dos motivos que elevaram a inflação foi o problema climático nos Estados Unidos, que elevou preços do milho e trigo. Isso provocou uma reação em cadeia, aumentando também o preço do frango e das carnes bovina e suína, pelo fato de os animais se alimentarem de farelos.
 
O Banco Central não contava com esse impacto nos preços e, de acordo com os especialistas, continua acreditando que a alta na inflação é passageira. A visão do BC contrata a de especialistas, que preveem inflação ainda alta pelo nível elevado dos custos de prestadores de serviço. A tendência de inflação elevada se mantém também porque o nível de emprego no Brasil continua elevado.
 
O momento ainda é bom para a compra de carros novos (Foto: Matheus Tagé/DL)
 
O crescimento do nível de emprego no País contrasta com a redução da previsão do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), o resultado de todas as riquezas produzidas, que tende a fechar entre parcos 1,2% a  1,5% - a previsão, no começo deste ano, era de que o Brasil fechasse 2012 com crescimento de 4,5%.
 
A título de comparação, os Estados Unidos, apesar de todas as dificuldades econômicas, deve fechar o ano com crescimento de 2,2% no PIB, percentual maior do que o brasileiro, mas muito menor do que o chinês, cujo crescimento econômico poderá chegar a 8%.
 
A inflação fora do centro da meta pretendida pelo BC é o que garantirá isenção do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) na venda de carros, eletrodomésticos e móveis. A retirada dessa isenção teria impacto na inflação.

Colunas

Contraponto