Indenizações do DPVAT crescem 25% no ano até setembro

As indenizações por morte, contudo, recuaram, segundo a Líder. O pagamento desses benefícios caiu 9% em relação ao período de janeiro a setembro de 2012

Comentar
Compartilhar
17 DEZ 201313h11

O número de indenizações pagas pelo seguro obrigatório, o DPVAT, cresceu 25% de janeiro até setembro em relação ao mesmo período do ano passado, chegando a 445.833 pagamentos, de acordo com dados da seguradora responsável, a Líder. Invalidez permanente continuou a ser o principal impulsionador dos pagamentos com aumento de 36%, na mesma base de comparação.

As indenizações por morte, contudo, recuaram, segundo a Líder. O pagamento desses benefícios caiu 9% em relação ao período de janeiro a setembro de 2012. Neste intervalo, foram pagos 41.761 benefícios por morte.

Conforme a Líder, as vítimas mais frequentes continuam sendo as com idade entre 18 e 34 anos, respondendo por 50,8% das indenizações, em sua maioria, do público masculino. Homens de todas as idades foram os beneficiários de 76% de todas as indenizações pagas até setembro último.

Quanto às indenizações por tipo de veículo, as estatísticas mostram que 72% dos benefícios foram pagos em consequência de acidentes de trânsito envolvendo motocicletas, sendo o anoitecer, entre 17h e 19h59, o período de maior incidência de acidentes indenizados (24%).

O número de indenizações pagas pelo seguro obrigatório, o DPVAT, cresceu 25% de janeiro até setembro em relação ao mesmo período do ano passado, chegando a 445.833 pagamentos (Foto: Divulgação)

A região com mais predominância de indenizações por morte, resultante de acidentes causados por automóveis, foi o Sudeste devido à maior concentração deste tipo de veículo na composição da frota desta região (67%). A exceção, segundo a Líder, foi o Espírito Santo, onde motocicleta é o veículo mais usado em acidentes fatais. No Sul, cuja predominância são automóveis (64,7% da frota da região), os acidentes fatais envolvendo estes veículos lideram as estatísticas: 57% no Paraná, 56% no Rio Grande do Sul e 55% em Santa Catarina.

No Centro Oeste, apesar da maioria de acidentes fatais ter envolvido automóveis, o Estado do Mato Grosso teve um número maior de indenizações por mortes em acidentes com motocicletas, equivalente a 48% dos benefícios concedidos pelo DPVAT no período. Já nas regiões Norte e Nordeste, o veículo de duas rodas é o principal causador de acidentes fatais indenizados.