Incêndio na Vila Esperança destrói 17 moradias e desabriga 42 pessoas durante a madrugada

Incidente aconteceu na noite de segunda-feira (20) e foi controlado durante a madrugada desta terça-feira (21). Não há vitimas

Comentar
Compartilhar
21 AGO 2018Por Da Reportagem15h15
Dez famílias abrigaram-se nas casas de parentes e amigos e sete estão alojadas no Centro de Capacitação Comunitária do bairroDez famílias abrigaram-se nas casas de parentes e amigos e sete estão alojadas no Centro de Capacitação Comunitária do bairroFoto: Divulgação/PMC

Foi controlado pelos bombeiros à 1h40 desta terça-feira (21), o incêndio iniciado por volta de 23 horas desta segunda-feira (20) no final da Rua das Acácias e próximo à Rua dos Cravos, na Vila Esperança (mapa: https://goo.gl/RKrtj1 ). O fogo atingiu 17 moradias e desabrigou 42 pessoas, entre elas 15 crianças e adolescentes.

Dez famílias conseguiram abrigo imediato em casa de parentes próximos e outras sete passaram a noite no Centro de Capacitação Comunitária da Sociedade de São Vicente de Paulo, situado na Rua São Francisco de Assis, 70, Via Esperança. Elas chegaram por volta de 2h30 e receberam cobertores e colchões da Secretaria Municipal de Assistência Social.  De manhã, foi-lhes servido café da manhã.

Neste mesmo local, assistentes sociais da Prefeitura fazem o cadastramento das famílias. O prefeito Ademário Oliveira que, na madrugada permaneceu na área de incêndio, acompanhando o resgate das famílias e determinando os atendimentos de urgência, esteve no Centro Comunitário, às 10 horas desta terça-feira, conversando com as famílias.

Segundo Ademário, após o atendimento emergencial, a maior preocupação, agora, é fazer um cadastramento detalhado e rigoroso das famílias. "Não queremos que se repita o que houve no passado, quando pessoas inescrupulosas, que não haviam sido vítimas, se aproveitaram de situação semelhante e se cadastraram para também serem beneficiadas pela Assistência Social ou em projetos habitacionais futuros".

Perda total - Das 17 moradias atingidas pelo fogo, 15 foram totalmente destruídas. Entre elas, a do casal Stephanie Carolina Rodrigues Marques e Tiago Manoel da Silva. "Eram 23 horas quando fomos acordados pelos gritos da casa vizinha, onde começou o fogo. Só tivemos tempo de pegar os documentos e sair correndo. Perdemos tudo", disse Stephanie.

Tiago, que trabalha na Usiminas, estava preocupado porque não tem parente na região, em cuja moradia possa se abrigar, mesmo provisoriamente. O casal mora há quatro anos na Vila Esperança.

 O Fundo Social de Solidariedade preparou 20 kits de alimentos e a distribuição de 20 cobertores aos desabrigados, mas conta com o apoio dos munícipes para doações de roupas, colchões, móveis, alimentos e produtos de higiene pessoal.

A doação pode ser feita pessoalmente no Fundo Social, que fica no Parque Anilinas (Avenida Nove de Abril, s/nº, Centro, entrada pelo final da Rua Assembleia de Deus) ou pelo Disque Solidariedade - 3362.0842. O Fundo Social poderá retirar na residência, mesmo em outras cidades.

Comdec - A Coordenadoria Municipal da Defesa Civil (Comdec) informou em relatório preliminar que o primeiro comunicado do sinistro ocorreu às 23h25 da segunda-feira, pela Coofrdenadoria Estadual de Defesa Civil. O incêndio, de causas ainda não apuradas, nas proximidades da Unidade Municipal de Ensino (UME) D. Pedro I, foi debelado à 1h40 desta terça-feira, iniciando os bombeiros o trabalho de rescaldo. Devido à falta de iluminação e à precariedade dos acessos, não foi possível naquele horário fazer o levantamento total das moradias destruídas.