Incêndio destrói lojas na Saara no Rio

O incêndio começou por volta das 9h30 da manhã deste sábado (15) e atingiu duas lojas que pertencem à mesma família. Não houve vítimas.

Comentar
Compartilhar
15 DEZ 201215h30

Um incêndio destruiu neste sábado (15) duas lojas da mesma família na Rua da Alfândega, na área central da cidade, onde funciona o comércio da Sociedade dos Amigos da Rua da Alfândega e Adjacências (Saara). A área de compras – uma das mais tradicionais do centro do Rio – reúne árabes, libaneses, judeus e cariocas, todos convivendo no espaço que congrega as ruas dos Andradas, Buenos Aires, da Alfândega, além da Praça da República. Não houve vítimas, segundo o Corpo de Bombeiros.

O incêndio começou pouco depois das 9h30 e várias lojas deixaram de abrir ao público, devido ao trabalho do Corpo de Bombeiros. O Natal é a festa que reúne maior número de compradores, chegando a passar pelo comércio cerca de 1 milhão de pessoas por dia, de acordo com estimativas do presidente da Saara, Ênio Bittencourt. O movimento é intenso por causa das lojas de brinquedos, bijuterias, cama, mesa e banho, além do comércio de roupas e dos tradicionais restaurantes árabes que funcionam na região.

O incêndio começou pouco depois das 9h30 e várias lojas deixaram de abrir ao público, devido ao trabalho do Corpo de Bombeiros. (Foto: Futura Press)

No comércio da Saara existem cerca de 1,2 mil lojas, e as cerca de 40 lojas que deixaram de abrir hoje (15 vão ter – cada uma – prejuízo de cerca de R$ 150 mil reais.

O incêndio começou na loja Bibinha, de moda infantil, na Rua da Alfândega, de propriedade de Mauro Kijjar, que tem a loja instalada no local há mais de 30 anos. O fogo começou no segundo andar, onde fica o estoque dos produtos. O fogo também atingiu a loja de bijuterias do filho dele, Paulo Kijjar. Os estabelecimentos são vizinhos.

Os comerciantes reclamaram que os bombeiros chegaram ao local meia hora após ao início do incêndio. O comandante operacional do Quartel Central do Corpo de Bombeiros que fica na Praça da República, a poucos metros do local da ocorrência, negou a informação.

Segundo o tenente-coronel André Melo, a ação dos bombeiros foi um sucesso e evitou que o fogo se alastrasse rapidamente para outras lojas, devido ao forte calor e ao excesso de material estocado na loja de artigos infantis. "Não houve nenhuma vítima e achei que o combate foi excelente. Chegamos tão logo entrou o chamado de socorro e não houve atraso nenhum do nosso socorro até pela proximidade do quartel. Achei que a ação no geral foi excelente". O tenente-coronel Melo disse que as causas do incêndio ainda não podem ser definidas e que o trabalho da perícia pode ficar prejudicado devido ao desabamento da área onde começou o incêndio.

O trabalho dos bombeiros durou cerca de três horas. As pessoas que trabalham nas lojas do comércio foram autorizadas a voltar ao trabalho pouco antes das 13h. O trânsito na área central do Rio, principalmente a Avenida Presidente Vargas, ficou congestionado durante toda a manhã.