X

Cotidiano

Imagem de Bolsonaro ensinando criança a imitar arma é criticada por presidenciáveis

O ato também foi criticado por Marina Silva (Rede) e Guilherme Boulos (PSOL).

Folhapress

Publicado em 21/07/2018 às 17:27

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Gesto incomodou inclusive alguns seguidores do presidenciável. / Fotos Públicas

Uma imagem em que o pré-candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) ensina uma criança a fazer com a mão o gesto de uma arma empunhada gerou polêmica nas redes sociais, inclusive entre presidenciáveis.

Durante evento em Goiânia na quinta-feira (19), o presidenciável segurou no colo uma menina, aparentando de 3 a 4 anos, e a ensinou a simular uma arma com as mãos. Ele colocou o polegar dela em riste e esticou o indicador para a frente, fazendo um "L" entre os dois dedos.

"O inominável fez, na mão de um ser ainda tão indefeso, o gesto de uma arma. O BR q eu sonho viver é aquele em q nenhuma criança seja submetida a violências. Em que educação forme brasileirinhos p/ a paz. A imagem é tão violenta q o sorriso do inominável deve ser apenas um deboche", escreveu Manuela D'Ávila, presidenciável do PC do B.

O ato também foi criticado por Marina Silva (Rede) e Guilherme Boulos (PSOL).

"Como mãe e professora, fiquei estarrecida ao ver um candidato ensinar uma criança a fazer gesto de revólver com as mãos. As mãos de uma criança devem ser treinadas para pegar em lápis e caderno, e jamais em armas", publicou a ex-senadora.

Já Boulos, afirmou que a foto provocou nojo. "Eu como pai sinto nojo e lamento uma pessoa dessa estar solta por aí destilando ódio. Bolsonaro não é um adversário eleitoral, é adversário do Brasil."

A reportagem tentou contato com a assessoria de Bolsonaro e com o próprio parlamentar, mas não obteve resposta.

Aliado do presidenciável e um dos parlamentares que o acompanhava na agenda em Goiânia, o delegado Waldir (PSL-GO) disse que a cena "não tem nada de mais".

"O Bolsonaro não estava ensinando nenhuma ideologia de gênero não", disse, justificando que o gesto foi feito, segundo ele, a pedido dos próprios pais da menina.

O deputado disse que trata-se de um símbolo que é marca sua e de seus eleitores e afirma que ele fez ato semelhante ao votar contra a ex-presidente Dilma Rousseff e contra o presidente Michel Temer.

"Crianças de três, quatro, cinco anos são treinadas nos Estados Unidos [a usar armas]. Isso é uma forma de disciplina naquele país, que é de primeiro mundo", disse. "É uma marca de coragem, de atitude."

Apoie o Diário do Litoral
A sua ajuda é fundamental para nós do Diário do Litoral. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós do Diário do Litoral temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para o Diário do Litoral continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Negou

Ex-prefeito Bili garante que não houve dolo e que vai recorrer de decisão

O juiz Leonardo de Mello Gonçalves, da Vara da Fazenda Pública do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP), condenou o ex-prefeito Luis Cláudio Bili Lins da Silva por improbidade administrativa e dano ao erário

Itanhaém

Vamos ajudar? Banco de leite materno de Itanhaém precisa de doações

O alimento pode ser compartilhado para ajudar a salvar a vida de diversos bebês na UTI Neonatal

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter