Humaitá, em São Vicente, completa 35 anos

Bairro começou como Conjunto Habitacional, às margens da Rodovia Padre Manoel da Nóbrega, em 1983

Comentar
Compartilhar
06 NOV 2018Por Da Reportagem09h30
Atualmente, o núcleo abriga quatro mil imóveisAtualmente, o núcleo abriga quatro mil imóveisFoto: Divulgação/PMSV

O dia 6 de novembro de 1983 marcou a realização do sonho da casa própria para 3.768 famílias. Naquela data, todas comemoraram em clima de festa a entrega do Conjunto Habitacional Humaitá, construído pela Cohab Santista em uma área às margens da Rodovia Padre Manoel da Nóbrega, na Área Continental de São Vicente.

Nesta terça-feira, dia 6 de novembro de 2018, muitos dos mais de 13 mil moradores da área (13.586, segundo dados do Censo 2010, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE) vão comemorar os 35 anos da entrega do Conjunto, com o orgulho de terem visto o bairro vicentino crescer e progredir. Para eles, inclusive, a possibilidade de deixar o local é completamente descartada.

“Estou comemorando 35 anos aqui no Humaitá, nesta terça-feira. Vim com a minha família para cá. Lembro que meus pais vieram para a nova casa da família logo após a entrega da chave. Cresci e criei a minha família aqui no bairro. Não saio daqui por nada”, comenta o sapateiro Anto Fran de Oliveira.

Aos 41 anos, ele exerce sua atividade profissional no bairro e garante que o local é maravilhoso em todos os sentidos. “Tenho bons vizinhos e o local tem tudo o que preciso. Aqui estão minha família e meus amigos”, completa, elogiando o local onde chegou com apenas 6 anos.

O bairro também encanta quem chegou depois, mas encontrou no local a tranquilidade para viver com a família. “Moro no Humaitá há 7 anos. Vim para cá logo após casar com minha esposa, que já vivia aqui no bairro. A área é tranquila e temos excelente vizinhança. Também somos uma comunidade ativa nas questões sociais e religiosas”, explica o auxiliar administrativo Marco Aurélio Novaes, 38 anos. Para ele, outra qualidade no bairro é ter tudo em termos de serviços, principalmente nas áreas de saúde, educação e comércio.

Atualmente, o núcleo abriga quatro mil imóveis, distribuídos em 149 quadras, mas o progresso chegou ao Humaitá aos poucos. No início, as ruas eram de terra. Havia água, mas não tinha luz. Conforme as famílias iam chegando ao núcleo, a energia elétrica era ligada, lembram os mais antigos. Aos poucos, os moradores foram ampliando os imóveis e instalando comércios. Nesses 35 anos, obairro ganhou asfalto, áreas de lazer, escolas, posto de saúde e um hospital.

Saúde

Entregue em janeiro de 2017, no aniversário da Cidade, o Hospital Doutor Olavo Horneaux de Moura (Rua Alfredo Chamas, s/n°) é uma das referências na área de saúde do Humaitá e da Área Continental de São Vicente. Oferecendo atendimentos de baixas complexidades, a unidade tem 20 leitos, sendo um deles para isolamento e dois para cuidados especiais. O Hospital está capacitado para atender aos pacientes com emergências hipertensivas, entre elas casos de infartos, angina e edema agudo de pulmão.

 A população conta, ainda, com os serviços prestados no Pronto Socorro Humaitá, com mais de nove mil atendimentos, entre maio e agosto deste ano; no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) Humaitá, com cerca de 45 atendimentos diários; e na Estratégia de Saúde da Família.

Educação

A área de educação é modelo no Humaitá, que conta com o CAIC Ayrton Senna, com pouco mais de 900 alunos, de 6 a 14 anos, do 1° ao 9° anos, e a EMEF Luiz Pinho de Carvalho Filho, com 900 alunos, entre 6 e 14 anos, do 1° ao 5° anos.

No Humaitá, a atenção também é especial para os baixinhos, com a Creche Nossa Senhora de Fátima, que reúne 170 crianças, de 4 meses a quatro anos; a Creche Kelma Maria Toffet, com 567 alunos, entre quatro e cinco anos, nas fases 1 e 2;  a Creche Josefa Maria de Souza, com seus 93 alunos, de 1 a 4 anos; e a Creche Júlia Maria de Jesus, com 80 crianças.

Além disso, o bairro da Área Continental conta com seis linhas de ônibus, comércio diversificado e muita vontade de crescer ainda mais.