Hotéis da Região registram ocupação de 85% no Carnaval

O tempo bom e as férias escolares contribuíram para o aquecimento das vendas de pacotes e diárias, de acordo com representantes do setor hoteleiro

Comentar
Compartilhar
14 MAR 201320h36

A ocupação nos hotéis e pousadas da Baixada Santista, neste Carnaval, foi 10% maior do que a registrada no ano passado, no mesmo período. O tempo bom e as férias escolares contribuíram para o aquecimento das vendas de pacotes e diárias, de acordo com representantes do setor hoteleiro.

“Muitas casas tiveram 100% de ocupação, outras 60%. A média geral é de aproximadamente 85% de movimentação nos hotéis e restaurantes”, disse o presidente do Sindicato dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares da Baixada Santista (Sindhorbs), Salvador Gonçalves Lopes. Os pacotes para os dias de Carnaval variaram entre R$ 600 e R$ 1.700.

O empresário disse que a cidade de Guarujá, mais uma vez, concentrou o maior número de visitantes, registrando lotação de 100% dos apartamentos. Segundo Salvador, a maioria dos hóspedes que descem para o Litoral é oriunda de municípios do Interior do Estado. “Esse público fica em torno de 80%. Eles querem aproveitar as praias e descansar, mas queremos atrair para o ano que vem, o hóspede que gosta de Carnaval. Salvador espera que a volta do desfile das escolas de samba de Santos atraia mais turistas no próximo ano.

O número de visitantes que permaneceram nas cidades da Região, durante a tradicional festa popular, não atendeu às expectativas do setor que estimava atingir a meta de 100% de pacotes vendidos. No entanto, para Salvador, de um modo geral, o movimento foi bom tanto para a hotelaria quanto para a gastronomia.

Além disso, o representante dos empresários do setor afirmou que não há razão para desanimar, pois o número de turistas que escolhem a Região para passar o Carnaval cresce a cada ano.

Em Santos, o Parque Balneário Hotel, situado em frente a praia do Gonzaga, teve todos os apartamentos ocupados durante os cinco dias da Folia de Momo, com 30% a mais de hóspedes do que em 2005.

O gerente-geral do hotel, Aleo de Almeida Júnior, atribuiu o aumento na procura ao fato de o período de Carnaval este ano ter coincidido com as férias escolares. “No ano passado quando o Carnaval aconteceu na segunda semana de março, tivemos 70% de ocupação, devido ao início do ano letivo”, salientou.