Hospital de Cubatão começa a ser investigado

Vereadores devem convocar funcionários do hospital. Ministério Público também deve iniciar investigação na unidade

Comentar
Compartilhar
29 AGO 2019Por Da Reportagem08h01
A CEI terá 60 dias para investigar a administração do hospital sobre o serviço prestadoFoto: Nair Bueno/DL

A Comissão Especial de Inquérito (CEI) que investiga os procedimentos médicos no Hospital de Cubatão Doutor Luiz Camargo da Fonseca e Silva realizou ontem sua primeira reunião.

Foi definido um plano de ação para apurar possíveis falhas na gestão da Fundação São Francisco Xavier (FSFX) à frente da unidade hospitalar, que também foi denunciada no Ministério Público (MP) pela própria Câmara.

A CEI solicitará relatórios e documentos relativos ao número de procedimentos (exames, consultas e cirurgias) que são realizados mensalmente no Hospital, bem como os dados referentes ao quadro funcional, uma vez que existe a suspeita de redução nas equipes de trabalho.

Os vereadores também querem saber se existe uma lista de demanda reprimida em relação ao atendimento de especialidades.

Outra preocupação dos parlamentares diz respeito ao montante repassado pelo Poder Executivo à FSFX.

O grupo que apura as supostas irregularidades na gestão da FSFX ainda quer levantar todos os boletins de ocorrência e inquéritos abertos por pacientes contra o Hospital.

Vale lembrar que a CEI foi criada depois de uma série de reclamações contra o atendimento prestado pela Fundação na unidade hospitalar.

A morte de uma jovem de 34 anos por falta de um exame de broncoscopia, e o bebê que teve seu braço quebrado durante o parto são alguns dos casos que serão apurados pela CEI. Há outros registrados na Polícia e em manifestações via redes sociais.

Na próxima semana, a CEI espera receber a documentação solicitada por parte da FSFX. Logo em seguida, os responsáveis pela gestão do Hospital Municipal serão convocados para prestar depoimento na Câmara de Vereadores do Município.

A CEI terá um prazo de 60 dias para investigar a administração do hospital no que diz respeito ao serviço prestado aos pacientes.

DENÚNCIA.

A denúncia no MP foi publicada com exclusividade pelo Diário. Ao tomar conhecimento da iniciativa pela Reportagem, o presidente do Conselho de Saúde, Alessandro Oliveira, questionou que e a representação fosse encaminhada também para a Secretaria de Saúde.

"Toda denúncia e apuração dos fatos por parte dos vereadores é louvável. Mas o que me chama atenção é que a FSFX é uma prestadora de serviço de saúde no Município, ou seja, quem orquestra os prestadores é a Secretaria de saúde de Cubatão, o responsável direto pelas ações de saúde no município", revelou. A Câmara não vê, nu primeiro momento, responsabilidade do Executivo.

BRAÇO.

No entanto, a Fundação é um braço da Usiminas e gerencia o hospital com dinheiro do Fundo Municipal de Saúde, encaminhado pela Secretaria de Saúde do Município. A verba é oriunda de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) entre Prefeitura de Cubatão e a Usiminas.

Procurada pela Reportagem semana passada, a secretária de Saúde Andréa Pinheiro disse que vai se manifestar sobre a denúncia assim que for notificada pelo MP.

Sobre as supostas negligências, disse que a Administração acompanha todos os procedimentos do hospital e que "casos isolados precisam ser notificados para que haja apuração.

Colunas

Contraponto