Há 32 anos, encenação contando a história de São Vicente

Na edição deste ano, o ator Oscar Magrini interpretará Martim Afonso pela segunda vez

Comentar
Compartilhar
22 JAN 201411h33

A encenação da Vila de São Vicente é tradicional para a cidade e para a Baixada Santista. Através, do espetáculo, todo ano, aprendemos um pouco mais sobre a história da Região e sobre a fundação da primeira vila do Brasil, sempre de uma forma diferente.

Considerada o maior espetáculo em areia de praia do mundo, a Encenação da Fundação da Vila de São Vicente foi criada em 1982. No início era feita em um pequeno cercado na praia do Gonzaguinha, por voluntários da comunidade que se reuniam de dia para comemorar o aniversário da Cidade. O grande salto ocorreu em 1998, quando foi criada uma grande arena onde os atores da Cidade e famosos da TV, contavam a história da chegada de Martim Afonso, pela primeira vez à noite. Deste momento em diante a encenação ganhou repercussão nacional.

Este ano, o ator Oscar Magrini interpretará Martim Afonso de Souza e o ator Armando Babaioff dará vida ao líder indígena Tibiriça. O elenco da encenação de 2014 foi apresentado na última segunda-feira, dia 20.

O secretário de Cultura, Amauri Alves, ressaltou a importância do espetáculo para a população vicentina. “O que impressiona em São Vicente é esse número alto de jovens que realmente vestem a camisa e viram noites trabalhando como voluntários, colocando alma e amor ali. Por isso eu tenho certeza absoluta que esse espetáculo será um sucesso”.

Considerada o maior espetáculo de praia do mundo, a encenação acontece desde 1982 (Foto: Divulgação)

Esta será a segunda vez que o ator Oscar Magrini será o protagonista do espetáculo, a primeira foi em 1999. “É um prazer imenso estar aqui novamente. Eu estive aqui há 15 anos e estou muito feliz de estar de volta a essa grande encenação. Para nós atores, é muito difícil fazer um espetáculo como esse porque fazer uma peça num teatro lotado não se compara a uma apresentação a céu aberto. É uma coisa fantástica, emocionante”, disse.

Quem vai sentir essa emoção pela primeira vez será o ator Armando Babaioff. Para ele, o espetáculo é importante para valorizar a cultura do país. “Qualquer tipo de manifestação cultural me interessa muito. É muito bom participar porque a manutenção da cultura é a história de um país e o país começou aqui. Saber que vamos dividir o palco com outras 900 pessoas é realmente muito emocionante”, declarou.

O elenco da encenação reúne ainda mil atores amadores, bailarinos brincantes de quadrilhas juninas, cantores, artistas circenses, além de nomes como Hélio Cícero (ator veterano nas montagens do espetáculo), como o anjo narrador, Marcos Azevedo (ator vicentino fundador da Cia. Ópera Seca), como Pero Lopes; e Thamires Ohana, mais uma vez como Bartira.

Outro destaque dessa edição é a presença de atores internacionais. O brasileiro, radicado em Portugal Marcelo Lafontano, o peruano Enrico Méndez Ore, o equatoriano Esteban Ruíz Tapia e Gabriela Rosas, do México, agraciarão o espetáculo.

A trilha musical fica por conta de Flávio Medeiros, produtor musical da região radicado em Los Angeles, Estados Unidos.

Neste ano, a história da Fundação da Vila de São Vicente será contada em um musical inspirado no rock e na obra O Auto da Barca do Inferno, de Gil Vicente.

Os ingressos para a encenação podem ser trocados por latas ou pacotes de leite em pó de 400g, em diversos mercados da Cidade.