Guarujaenses conquistam ouro e prata no Open Internacional

No mesmo fim de semana, a Cidade foi presenteada com a 3ª colocação na 1ª etapa do Campeonato Paulista de Handebol em Cadeiras, sediado na Universidade de Ribeirão Preto (Unaerp), Campus Guarujá.

Comentar
Compartilhar
30 ABR 201518h09

A Associação Paradesportiva da Baixada Santista (APBS) comemora as conquistas dos guarujaenses Gabriel Cristiano e Cristan Costa no Open Internacional de Natação e Atletismo, do último fim de semana, em São Paulo. No mesmo fim de semana, a Cidade foi presenteada com a 3ª colocação na 1ª etapa do Campeonato Paulista de Handebol em Cadeiras, sediado na Universidade de Ribeirão Preto (Unaerp), Campus Guarujá.

Os 100 metros borboleta e os 50 metros livre renderam duas medalhas de ouro para Gabriel Cristiano. O atleta também levou para casa uma medalha de prata no nado medley. E o nadador Cristian Costa conseguiu o quarto lugar nos 50 metros borboleta e a 6ª colocação nos 50 metros livre. De acordo com o diretor da APBS, Moisés Fabrício de Souza Cruz, “o Gabriel Cristiano é um atleta com potencial internacional”, pois, participou do Para Pan de 2013 na Argentina.

Gabriel Cristiano recebe o bolsa atleta da Prefeitura de Guarujá e já é considerado um candidato para as olimpíadas em 2016, com apenas 20 anos de idade. Cruz também se orgulha do progresso de Cristian Costa. “O Cristian nos surpreende a cada dia. Porque está sempre superando o tempo dele, e na última competição diminuiu cerca de cinco segundos, o que para a natação é muita coisa”, explicou Cruz.

Handebol – Já a equipe de Guarujá do Handebol em Cadeiras é a única que representa a Baixada Santista. Com apenas dois anos de existência, o Handebol alcançou o 4º lugar no Campeonato Paulista do ano passado em Sorocaba e faturou a 3ª colocação na 1ª etapa deste ano, na Unaerp. “Em comparação aos times adversários que já competem há mais tempo no handebol a gente conseguiu fazer um feito interessante, contou o armador do time, Carlos Pierre.

Segundo Cruz, “as cadeiras são remanescentes do basquete. Mas, como o basquete é um esporte caro, nós optamos pelo handebol”. Para Pierre, que já jogou basquete e hoje participa também de atletismo, “a filosofia do clube é de superação. Não quero largar nunca de lá”.