Guarujá reforça combate à dengue na Cidade Atlântica e Vila Baiana

Nesta semana, o mutirão de combate a possíveis focos do mosquito transmissor da doença contará com três equipes para vistoriar os imóveis e orientar a população

Comentar
Compartilhar
31 MAR 201517h26

A Prefeitura de Guarujá vem trabalhando para não deixar espaço para a Dengue. Diante a incidência de casos em determinados locais, desde ontem, a Diretoria de Vigilância em Saúde do Município está promovendo mutirões para a retirada de focos do mosquito transmissor da doença nos bairros Cidade Atlântica e Vila Baiana, com visitas de casa em casa e nebulização. A ação, que prossegue até esta quarta-feira, dia 1º de abril, é realizada das 9 às 14 horas.

“Foco na prevenção”, destaca a agente de controle de endemias, que integra a equipe de Controle e Combate à Dengue, Maria Cleude Batista de Jesus Pimenta. Ao todo, 27 agentes de endemias e comunitários de saúde atuam na ação. O grupo é dividido em três equipes, que vistoriam os imóveis em busca de criadouros e focos do mosquito Aedes Aegpty. Após esse este procedimento, é realizada a nebulização. “Tudo para que a região não apresente novos casos da doença e, consequentemente, não sofra com uma epidemia”, ressaltou a agente.

Quem aprova as fiscalizações é o operário Francisco Cosme Pereira, de 43 anos. Ele conta que teve Dengue, por isso toma cuidado para não acumular focos do mosquito em locais com água limpa e parada. “É ótimo ter a atenção dos agentes, porém, se a população toda fizer a sua parte, não será necessária a visita deles”, reconhece o operário, que agradeceu o serviço da equipe.

De acordo com a agente Maria Cleude, o serviço da Dengue existe para orientar a população que é dever de todos cuidar das casas e não deixar objetos que acumulem água com as chuvas, como pneus, vasos de planta, garrafas e até mesmo o lixo.

A dona de casa Maria Cristina de Melo, de 37 anos, é prova da atenção dada pelas equipes. “Acabei não seguindo as últimas instruções dos profissionais da dengue, por isso levei um puxão de orelha”, brincou Cristina, que teve focos do mosquito encontrados em seu quintal. “Fiquei preocupada, pois tenho crianças em casa e sei: elas geralmente são mais vulneráveis. Agora, sei o que fazer e os ‘grupos da dengue’ não precisarão voltar mais em casa”.

Segundo a Diretoria de Vigilância Epidemiológica, dentro do ano epidemiológico, medido de julho 2014 a junho 2015, o Município registrou 183 casos confirmados de dengue. embora a Cidade não esteja em estado de epidemia, a Secretaria de Saúde está atenta para que os números não aumentem.

As equipes de Controle e Combate à Dengue atuam rapidamente a partir dos resultados do Teste Rápido, que em 4 horas ajuda a acelerar as demandas referentes à Dengue. Munidos com o resultado dos exames, a equipe intensifica as atividades nas áreas de maior positividade, trabalhando nos quarteirões e entorno, para retirada de criadouros e aplicação de larvicida.

Além disso, a equipe promove palestras em associações e sindicatos dos respectivos bairros, tenda inflável, panfletagem, acompanhamento do dengue móvel, telagem de caixas d’ água, visita nas obras paradas e sala de situação, com monitoramento, avaliação e planejamento das ações. Para informar ou fazer denúncia de focos de Dengue, os munícipes podem ligar para a Ouvidoria da Prefeitura, por meio do número 0800-773-7000 ou 33554211.