Guarujá integra Plano de Ação para minimizar os impactos no trânsito

Ação terá vigência no período de aumento no tráfego de caminhões no Sistema Anchieta-Imigrantes (SAI,) em decorrência do escoamento da safra de grãos

Comentar
Compartilhar
04 FEV 201518h01

Com objetivo de minimizar os impactos no trânsito, durante o período de aumento no tráfego de caminhões no Sistema Anchieta-Imigrantes (SAI), em decorrência do escoamento da safra de grãos, que reflete diretamente nas vias urbanas das cidades de Guarujá e Santos, a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) realizou na última semana uma reunião para reforçar as medidas já adotadas em 2014, por meio do Plano de Ação Integrada e definir novas ações a serem implementadas neste ano.

A reunião ocorreu na sede da Agência, com a participação de representantes das polícias Militar e Rodoviária, das prefeituras de Guarujá e Santos, da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp, a Autoridade Portuária), dos terminais marítimos, dos pátios reguladores e técnicos da Artesp. No ano passado, o Plano de Ação Integrada reduziu em 54% os congestionamentos no SAI e, consequentemente, o desornamento nas cidades.

A principal ferramenta do Plano é o sistema de agendamento realizado pela Codesp, que evita o acúmulo de caminhões num mesmo período de tempo nas rodovias da Baixada Santista. De acordo com o planejamento, o tráfego será monitorado, principalmente, no Viaduto da Alemoa, no Polo Petroquímico de Cubatão, na Avenida Plínio de Queiroz (Cubatão) e na Rua do Adubo. A fiscalização será intensificada para evitar bloqueios dos acostamentos e de faixas na Rodovia Cônego Domênico Rangoni (SP-055) e na Via Anchieta.

Ação terá vigência no período de aumento no tráfego de caminhões no Sistema Anchieta-Imigrantes (SAI,) em decorrência do escoamento da safra de grãos (Foto: Pedro Rezende/PMG)

Para a diretora de Trânsito e Transporte Público de Guarujá, Quetlin Scalioni, que esteve no encontro, estas ações são fundamentais para minimizar o conflito entre Porto e Cidade. “A experiência negativa em 2013 nos fez ampliar as intervenções. Antes mesmo desta ação integrada, a prefeita Antonieta criou o Gabinete de Gestão de Crise que foi fundamental para solucionar a situação em 2013. No ano passado, não houve congestionamento provocado pela safra, resultado da prontidão do gabinete municipal de crise e o Plano Integrado. Acredito que com a união de todos, a participação dos terminais portuários e caminhoneiros, respeitando o agendamento, não teremos conflitos neste ano também”, explicou.

Mais ferramentas – As recentes obras realizadas na Baixada Santista e que representaram um investimento de R$ 418 milhões, ampliando a capacidade de tráfego nas rodovias que atravessam a região, também vão ajudar a controlar o acesso e evitar os congestionamentos de caminhões.

Entre esses empreendimentos, estão o Anel Viário de Cubatão (a remodelação do antigo Trevo de Cubatão), a implantação de 16 quilômetros de faixa adicional na Rodovia Padre Manoel da Nóbrega (SP-055), o novo acesso à zona portuária de Guarujá (abertura de uma via paralela à Rua do Adubo) e a remodelação do entroncamento da SP-055 com a BR-101, a Rodovia Rio-Santos, com construção de viaduto de acesso. E em abril, está programada a entrada em operação do novo viaduto de acesso ao Jardim Casqueiro, em Cubatão.

Colunas

Contraponto