Guarujá discute proliferação de pombos no próximo dia 29

Evento será das 14 às 17 horas, no auditório da Associação dos Funcionários Públicos do Estado de SP, (Afpesp), na Praia das Astúrias

Comentar
Compartilhar
21 NOV 2019Por Da Reportagem18h02
A população de pombos em Guarujá e na Baixada Santista será tema de encontroFoto: Divulgação/PMG

A população de pombos em Guarujá e na Baixada Santista será tema de encontro realizado pela Prefeitura, que acontece no próximo dia 29 (sexta-feira), no auditório da Associação dos Funcionários Públicos do Estado de São Paulo (Afpesp), que fica na Avenida General Rondon, 643 – Astúrias. O evento ocorrerá das 14 às 17 horas e terá a presença do prefeito de Guarujá, Válter Suman, além de convidados.

A iniciativa é da Secretaria de Saúde, em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente. Haverá palestra do médico veterinário e professor universitário, Eduardo Filetti. Ele abordará a questão do manejo dos pombos e as doenças que esses animais causam, entre outros aspectos. O presidente da empresa Loremi (de saneamento ambiental), Maurício Marques, também participará do encontro. Em sua palestra, o químico falará sobre as barreiras e a forma de manter estas aves afastadas do convívio humano destacando os principais hábitos da espécie.

O encontro é voltado aos agentes do controle de endemias, comunitários de saúde (ACS), sendo dois representantes de cada unidade básica (UBS) e de saúde da família (Usafa), além das equipes de vigilância epidemiológica, sanitária e de zoonoses. De acordo com o diretor de Vigilância em Saúde da Prefeitura, Marco Antonio Chagas da Conceição, o objetivo do encontro é discutir o manejo de pombos e a sua proliferação e como minimizar os problemas gerados.

"Juntos, queremos de alguma forma, traçar um plano para que essas aves não se multipliquem ainda mais. Nossa equipe de combate à dengue, por exemplo, já iniciou trabalho de orientação com ambulantes e quiosqueiros sobre alimentação para pombos", conta ele sobre a ideia de torná-los parceiros e multiplicadores de informação. "Contamos com eles nesta ação, pois eles também sofrem com isso", ressaltou.

A preocupação da Prefeitura de Guarujá acerca da importância em debater o assunto, ocorre devido às duas mortes registradas neste ano na Baixada Santista, por criptococose, conhecida como doença do pombo, que é infecciosa, sendo causada pela aspiração do fungo Cryptococcus, presente nas fezes de aves, principalmente pombos.

Geralmente, os pombos fazem seus ninhos em telhados, forros, caixas de ar condicionado, torres de igrejas e marquises. Alimentar esses animais faz com que eles se viciem e retornem sempre onde foram alimentados, sem contar que a disponibilidade de comida faz com que a fêmea fique mais disposta a procriar.

A sua proliferação é hoje um problema de saúde pública, pois gera várias doenças graves podendo deixar sequelas e até levar à morte. Além disso, a Prefeitura mantém fiscalizações e vistorias pós-reclamações de munícipes nos bairros da Cidade, conforme cronograma semanal. A Unidade de Vigilância em Zoonoses fica na Avenida Adriano Dias dos Santos, 303, no Jardim Boa Esperança. O horário de funcionamento é das 8 às 17 horas. Telefone: 3355 6300.

Principais doenças causadas pelo pombo:

Criptococose

Histoplasmose

Salmonelose 

Ornitose

Dermatites

Alergias

Quais cuidados devemos ter com os pombos:

- nunca alimentá-los (lei municipal de 2018)

- umedecer as fezes dos pombos com desinfetante antes de varrê-las
- utilizar luvas e máscara ou pano úmido para cobrir o nariz e a boca, ao fazer a limpeza do local onde estão as fezes;
- vedar buracos ou vãos entre paredes, telhados e forros;
- colocar telas em varandas, janelas e caixas de ar condicionado;
- não deixar restos de alimentos que possam servir aos pombos, como ração de cães e gatos;
- utilizar grampos em beirais para evitar que os pombos pousem;
- retirar ninhos e ovos;
- acondicionar corretamente o lixo em recipientes fechados