Grupo de trabalho prioriza segurança para retorno às aulas presenciais em SV

Segundo encontro ocorreu na manhã desta quinta-feira (18), na Câmara Municipal

Comentar
Compartilhar
18 FEV 2021Por Da Reportagem19h02
Na pauta, o grupo abordou as propostas apresentadas na primeira reunião, realizada no dia 12Foto: Divulgação/PMSV

A Secretaria de Educação de São Vicente (Seduc) promoveu, na manhã desta quinta-feira (18), a segunda reunião para definir o Plano de Retomada das aulas presenciais na rede municipal de ensino. O encontro se deu no plenário da Câmara Municipal, com participação do grupo de trabalho formado por representantes do professorado, gestores, funcionários, pais, Secretaria de Saúde (Sesau), Conselho Municipal da Juventude e Sindicato dos Servidores Públicos Municipais.

Na pauta, o grupo abordou as propostas apresentadas na primeira reunião, realizada no dia 12. Foi consenso que o retorno às aulas presenciais deverá acontecer de maneira segura para alunos, professores e funcionários, em data a ser definida.

No quesito proteção, foram elencadas ações para o pré-retorno às atividades presenciais, envolvendo a organização do ambiente escolar, aquisição de equipamentos de proteção individual, condições de higiene, treinamento e capacitação, medidas sociais de saúde, entre outras.

Também está previsto o levantamento criterioso sobre os funcionários e professores pertencentes aos grupos de risco. Além disso, os pais e responsáveis deverão ser consultados sobre a opção pelo ensino híbrido ou continuidade da modalidade remota.

Na próxima semana, haverá uma nova reunião e, ao término da discussão, deverá ser validado de forma conjunta o documento definitivo do Plano Municipal de Retomada, sempre em conformidade com os protocolos sanitários.

“Estamos construindo esse processo de forma conjunta para nortear a retomada de forma segura, pois a vida vale mais que tudo”, ressaltou a secretária Nívea Costa Marsili.

Planejamento - Em princípio, a retomada das aulas presenciais deverá acontecer de forma híbrida. A proposta é que, no retorno às escolas, seja respeitada uma limitação de alunos por sala de aula. O uso de máscaras será obrigatório, assim como higienização com sabonete e álcool em gel, regras de distanciamento, horários diferenciados de entrada e saída da unidade (com intervalos de 10 minutos) e períodos reduzidos de aula.