Grupo de estivadores está no Forte aguardando Jair Bolsonaro

Comentar
Compartilhar
16 NOV 2019Por Jeferson Marques13h03
Foto: Jeferson Marques/DL

Um grupo representando os trabalhadores estivadores está reunido na porta do Forte dos Andradas, em Guarujá, aguardando a presença do presidente Jair Bolsonaro para falar sobre a situação da categoria no Porto de Santos.

Segundo o estivador Cláudio Reis Teodósio, a presença do grupo no Forte é para deixar o presidente a par da situação dos trabalhadores portuários que, segundo ele, está cada vez mais difícil.

"Na campanha o Bolsonaro disse que daria uma mão à estiva. Porém, não está tendo trabalho para nós, que somos avulsos. São cerca de 3 mil pessoas que podem ficar desempregadas com essas atitudes arbitrárias  no Porto de Santos", explicou.

Ainda segundo Teodósio, o Porto tem empregado trabalhadores vinculados bem mais do que eles, avulsos, o que está causando toda essa apreensão.

"Nós, os avulsos, não damos prejuízo nenhum. Se não trabalhamos, não recebemos. O problema é que estão dando empregos demais aos trabalhadores vinculados e nos deixando sem quase nada. Há mais de um ano não trabalhamos em containers, por exemplo", lembrou.

O trabalhador espera que o presidente venha até o lado de fora do Forte dos Andradas - o que não aconteceu durante toda a manhã deste sábado (16) - para que eles consigam dar uma palavra com ele.

"Somos honestos e todos trabalhadores. Não queremos mais nada além do que trabalho. E ele é um cara honesto e que prometeu isso em campanha", finalizou.