X
Cotidiano

Governança municipal pós-pandemia é tema de workshop de sucesso em Santos

Evento, organizado pelo Diário do Litoral, contou com a presença de lideranças municipais

O cientista político Nilton Tristão abriu o evento e falou, dentre muitos assuntos, sobre o legado deixado pela pandemia na vida dos munícipes. / Nair Bueno/Diário do Litoral

Aconteceu em Santos, durante toda a última quinta-feira (18), no Hotel Park Inn By Radisson, o 1º workshop sobre Governança Municipal e Comunicação Institucional no pós-pandemia na Baixada Santista. O encontro foi organizado pelo Diário do Litoral e contou com a presença de 30 lideranças municipais, dentre secretários e diretores das prefeituras de Santos, Cubatão, Guarujá, Bertioga e Mongaguá, além do diretor do próprio DL, Alexandre Bueno, e da Gazeta de São Paulo, Daniel Villaça, que puderam discutir como a Covid-19 mudou a forma de se fazer uma gestão pública e de se comunicar com a população.

O cientista político Nilton Tristão abriu o evento e falou, dentre muitos assuntos, sobre o legado deixado pela pandemia na vida dos munícipes e, ainda, como seria o perfil ideal adotado pelos gestores públicos de agora em diante, tendo em vista que a Covid-19 mudou, inclusive, a forma de conversar e comunicar com a população.

Maurício Brusadin, especialista em redes e mídias sociais, foi o 2º palestrante a conversar com as lideranças presentes. Ele focou justamente nessa nova maneira de conversar com seu público-alvo (no caso, os moradores) pós-pandemia. Segundo o profissional, as fake news são um problema grave que precisa ser combatido, sendo esse um dos principais desafios diante de uma população cada vez mais conectada e que recebe dezenas de informações por minuto em seus celulares, por exemplo.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram e mantenha-se bem informado.

O último expositor do dia foi o jornalista e administrador público Carlos Laino. Dentre vários tópicos importantes, Laino falou sobre os novos focos e ações que devem ser priorizados, de agora em diante, na saúde pública de cada cidade. A humanização dos atendimentos e a necessidade cada vez mais importante das assistências sociais pós-pandemia são apontadas por ele como fundamentais nos planos de governo. Para ele, a informatização dos dados favorece esse planejamento, já que os gestores públicos conseguem ter total controle sobre cada indivíduo que se utiliza do SUS, por exemplo, e de que forma faz isso, podendo diminuir bastante os casos de faltas em consultas médicas ou não sequência de um tratamento.

Workshop aprovado

Ao término do evento todas as lideranças elogiaram o encontro e a riqueza de detalhes que foram abordados e discutidos sobre temas tão atuais e relevantes dentro das prefeituras.

Thaís Margarido, chefe do departamento de assuntos metropolitanos de Santos, parabenizou a iniciativa do Diário e disse que a grande questão está nos grupos que podem ser montados para gerenciar crises dentro das administrações públicas. "Qualquer crise, seja ela estrutural, sanitária ou econômica precisa de um grupo de líderes que se reúnam para tratar especificamente dela. Grupo esse composto por gestores que sejam, além de humanizados, técnicos em cada assunto que aquela crise esteja afetando, pois não existe crise dentro de um órgão municipal, por exemplo, que não atinja todos os outros", comentou.

Juliana Batista de Carvalho Camargo, diretora executiva da secretaria de governo de Bertioga, também elogiou o encontro e enfatizou que a cidade está no caminho certo. "Nossa gestão está pautada em um dos assuntos abordados aqui, que é a comunicação objetiva com a população. Tudo o que está acontecendo em termos de saúde na cidade, os moradores sabem. Fizemos lives e levamos a informação mais precisa com muita transparência. Chegamos a esse momento de aparente tranquilidade pautados pela comunicação com as pessoas", lembrou.

Atualizar para atender melhor

Andressa Aparecida da Silva, assessora de imprensa da prefeitura de Guarujá, ressaltou que a insegurança da população nesse período pós-pandemia é um fator a ser trabalhado pelos gestores públicos. "Precisamos se atualizar sobre como a pandemia transformou a vida das pessoas e de que forma ela afetou centenas. As informações discutidas nesse workshop nos fizeram compreender melhor quais são os caminhos para uma administração mais humanizada, tendo um olhar para uma gestão que, de fato, gere impactos positivos na população".

Maria Paula Koukdjian, diretora de turismo de Mongaguá, entendeu que a diferenciação dos serviços prestados à população, de agora em diante, está em uma palavra muita falada no evento: humanização. 

"Os conteúdos abordados aqui foram fantásticos. Os profissionais, de uma capacidade e conhecimento excelentes, nos mostraram que os serviços públicos devem ser mais próximos e humanos, indo de encontro às reais necessidades da nossa cidade. Nós, da prefeitura, realizamos um trabalho de comunicação muito importante na pandemia. Falando da minha pasta (turismo), ganhamos um selo internacional chamado de "turismo seguro", onde prova que a nossa preocupação sempre foi a transparência e o cuidado com as pessoas", finalizou.

Para o diretor do Diário do Litoral, Alexandre Bueno, o jornalismo sempre presente nas comunidades ao longo dos 23 anos de vida do jornal não poderia ignorar a pandemia e as transformações que ela causou - e ainda causará - na vida de todos. 

"O Diário tem papel importante na comunicação regional. Vivemos um período único na história, onde a pandemia mudou parâmetros em todos os sentidos. É nosso dever levar a boa informação para combater as fake news. Esse evento é o primeiro de outros que estão em nosso planejamento para 2022", afirmou.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Brasil

Governo: Mário Frias contrata por quase R$ 4 milhões empresa sem licitação e sem funcionários

A sede da empresa seria uma caixa postal em um escritório virtual a 2.400 km do Rio de Janeiro

Polícia

Corregedoria investiga aparição de pênis de borracha em academia da PM

A academia do Barro Branco tem aproximadamente 660 cadetes, além de cerca de 140 funcionários

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software