GAPA BS completa 29 anos com programação especial

Hoje, às 9h30, na sede do Grupo, será apresentado o novo serviço de orientação jurídica gratuita

Comentar
Compartilhar
25 ABR 2017Por Da Reportagem08h00
Na quinta-feira (27), às 20h30, no Teatro Guarany, será a vez da apresentação do espetáculo Bruta Flor, de Vitor Oliveira e Carlos Fernando Barros.Foto: Ronaldo Gutierrez/Divulgação

Hoje, às 9h30, na sede do Grupo de Apoio a Prevenção à AIDS da Baixada Santista (GAPA/BS), será apresentado o novo serviço de orientação jurídica gratuita do órgão para pacientes e familiares.

A iniciativa faz parte do aniversário de 29 anos da entidade, que terá programação variada e para o público jovem. Este ano, a campanha será focada no uso das novas tecnologias a favor do combate à AIDS e ao preconceito. A sede fica na Rua Colômbia, 44, em Santos.

Amanhã, das 11 às 15 horas, na Praça Barão do Rio Branco, Centro de São Vicente, O GAPA/BS realiza testagem rápida por fluido oral. Quem não puder comparecer, pode fazer o teste de segunda a sexta, em horário comercial, na sede da entidade.

O objetivo é que a pessoa saiba se é soropositivo para o HIV antes de ficar doente de AIDS e começar o tratamento para ter uma boa qualidade de vida.

O teste oral é um método simples e de fácil execução, o fluido do teste é extraído da gengiva e o começo da mucosa da bochecha com o auxílio da haste coletora e o resultado sai em 20 minutos, com 99% de confiabilidade.

Segundo a presidente da entidade, Nanci Alonso, as testagens são feitas em lugares públicos para atingir maior número de pessoas e possibilitar rápido acesso ao tratamento já que os casos reagentes são prontamente encaminhados para unidade de saúde de referência onde terão atendimento imediato e remédio gratuito.

Teatro

Na quinta-feira (27), às 20h30, no Teatro Guarany, será a vez da apresentação do espetáculo Bruta Flor, de Vitor Oliveira e Carlos Fernando Barros. O ingresso pode ser trocado por um quilo de arroz, feijão ou leite em pó na véspera do espetáculo (quarta-feira), na sede da entidade (Rua Colômbia 44). Na bilheteria do teatro, no dia do espetáculo, o convite será vendido a R$ 40,00 (meia) e R$ 80,00 (inteira).

Sucesso de Público e Crítica em São Paulo, o espetáculo Bruta Flor, dirigido por Marcio Rosario, discute bissexualidade, homofobia e homossexualidade. É uma reflexão sobre a liberdade da orientação sexual de cada um e seus direitos. Após a apresentação da peça, haverá um debate a respeito do tema. No elenco: Pedro Lemos, Erika Farias, Fabio Rhoden e Walquiria Ribeiro. Cenário e Figurino Maureen Miranda. Música: Cida Moreira.

O enredo conta sobre o relacionamento entre dois homens, Lucas e Miguel, que se encontram presos em um lugar desconhecido e começam a relembrar a trajetória deles, desde a adolescência. Miguel vai estudar em Londres e eles se afastam. Mais de 10 anos depois, ele volta para o Brasil e revê Lucas no metrô. Um reencontro que traz à tona sentimentos que até então desconhecia. A relação vai ganhando contornos dramáticos, que envolvem a aceitação da homossexualidade.

Quem é o GAPA?

Há 29 anos, um grupo de atores da cidade de Santos se reuniu para homenagear cartunista Henfil que por ser hemofílico, veio a óbito em decorrência da Aids. Foi encenado o espetáculo A Revista do Henfil e, daquele movimento, nasceu no dia 11 de abril o uma instituição sem fins lucrativos, que atende as nove cidades da Baixada Santista.

Estão cadastradas no Serviço Social do GAPA/BS 257 famílias, incluindo 56 crianças de zero a 12 anos. Atualmente são distribuídas 39 cestas básicas mensais às famílias cadastradas. A instituição vive essencialmente de doações da comunidade, pessoas que contribuem mensalmente, eventos beneficentes e do brechó e lojinha permanente em sua sede, no Boqueirão.

Atualmente desenvolve o Projeto Viva Melhor Sabendo, de testagem rápido por fluido oral para HIV/Aids entre a população jovem de 14 a 25 anos, além de outros projetos de educação e prevenção; Projeto de Inclusão Digital para Crianças, Adolescentes e Adultos; atendimento Jurídico para os portadores de HIV/Aids e seus familiares e diversas oficinas de geração de renda - artesanatos, bolsas, chinelos bolsa - e o Grupo Solidário.