Fumaça de incêndio pode aumentar demanda nos prontos-socorros

Quem possui doenças pulmonares, como enfisema, por exemplo, pode entrar em crise. Especialista recomenda muita hidratação e busca de atendimento médico

Comentar
Compartilhar
06 ABR 201516h43

A fumaça provocada pelo incêndio no terminal de combustíveis da Ultracargo, na Alemoa, em Santos, pode provocar aumento da demanda de pessoas com dificuldades respiratórias nos prontos-socorros da Região. Segundo o titular da disciplina de Pneumologia da Faculdade de Medicina do ABC, o médico Elie Fiss, quem possui doenças pulmonares, como enfisema, por exemplo, pode entrar em crise. Manter-se hidratado e buscar atendimento médico aos primeiros sintomas é o recomendado.

“Pessoas que inalaram diretamente esses hidrocarbonetos (a fumaça) podem ter problemas de inflamação pulmonar. Pessoas que já têm problemas pulmonares podem entrar em crise. O ideal é que elas (pessoas com doenças crônicas) não deixem de tomar os medicamentos contínuos”, disse Fiss. 

O professor ressaltou que a poluição acentuada pode ter reflexos de 24 a 48 horas após o término do incêndio, que está controlado, mas ainda segue pelo quinto dia. “Quem não possui problema respiratório não vai adquirir, mas poderá apresentar quadro de alguma inflamação respiratória, como pneumonias inflamatórias”, afirmou.

Fiss destaca que os principais sintomas de problemas respiratórios são tosse, chiado no peito e falta de ar. A recomendação é procurar atendimento médico. “É bom evitar a área onde tiver maior concentração de fumaça. Se não houver jeito, muita hidratação é a recomendação”, disse.

O professor ressaltou que a poluição acentuada pode ter reflexos de 24 a 48 horas após o término do incêndio (Foto: Diego Lameiro/Facebook/ Corpo de Bombeiros)

Em São Vicente, segundo a Secretaria Municipal de Saúde, o Hospital Municipal e as unidades de pronto atendimento da Cidade contam com aumento significativo de pacientes com dificuldades respiratórias neste período.

Em Guarujá e Cubatão, segundo as prefeituras, que o atendimento se encontra dentro da normalidade

Policlínicas

A Secretaria Municipal de Saúde de Santos informou que as policlínicas localizadas próximo ao incêndio estão recebendo, sem agendamento prévio, pacientes que necessitem de atendimento em virtude de algum problema respiratório.

Segundo o órgão municipal, as policlínicas também estão preparadas para realizar remoções para unidades de maior urgência e complexidade, se necessário. A medida valerá até que o incêndio seja totalmente combatido e a fumaça esteja dissipada.

Leia também: 

Incêndio atinge tanques de álcool, no bairro da Alemoa, em Santos
Combate às chamas na Alemoa pode durar até quatro dias
Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar questiona efetivo dos bombeiros
Bombeiros comparam ação nos tanques a um "dragão preso em uma gaiola"
Cesteb descarta impacto ambiental por conta do incêndio na Alemoa
Incêndio na Alemoa não tem previsão para acabar
Quarto tanque é atingido e explode em incêndio na Alemoa
Gabinete de Crise é instalado em combate ao incêndio

Surgimento de peixes mortos em Cubatão pode estar relacionado ao incêndio
Incêndio na Alemoa: Fogo atinge apenas dois tanques
Incêndio em Santos pode acabar nesta segunda-feira
Região pode sofrer com chuva ácida
Fumaça de incêndio pode aumentar demanda nos prontos-socorros
Incêndio em Santos impede navio de etanol de atracar

Veja vídeos do incêndio: 

Vídeo incêndio - Via Whatsapp / Vídeo Incêndio 2 - Via WhatsApp / Explosão nos tanques da empresa Ultracargo