Fiscalização encontra barracos e cercas ilegais em Praia Grande

Ação aconteceu em parceria com a Guarda Civil Municipal e a Secretaria de Serviços Urbanos.

Comentar
Compartilhar
23 JAN 201321h12

Em patrulhamento feito nas áreas de preservação ambiental do Bairro Andaraguá, na terça-feira (22), uma equipe formada por fiscais da Secretaria de Urbanismo (Seurb), agentes do Grupamento Ambiental da Guarda Civil Municipal e trabalhadores da Secretaria de Serviços Urbanos (Sesurb), encontrou cercas irregulares no meio da mata e barracos de madeira em área de preservação.

Em uma das construções, havia roupas penduradas no varal, na tentativa de simular que o local já estava ocupado. Nenhum morador foi encontrado. O barraco foi desmontado e o material descartado. A construção estava às margens da Rodovia Padre Manoel da Nóbrega, próximo à divisa com São Vicente.

De acordo com o chefe de Seção de Contenção da Invasão da Seurb, Marcos Roberto de Macedo, o balanço da ação foi positivo. “Além de flagrarmos barracos construídos, conseguimos evitar que novas construções fossem erguidas.” Em outro local, os fiscais derrubaram paredes de alvenaria que estavam em construção.

Área de preservação

A primeira etapa da fiscalização aconteceu em meio à mata fechada. Por meio de trilhas, as equipes chegaram a algumas áreas cercadas. Em um dos casos, a demarcação foi feita por cerca de 80 metros com estacas de madeira e arame farpado.

Em outra, o cercado foi feito com madeiras e escondia uma série de materiais que seriam utilizados na construção de um barraco. Tábuas, telhas e pedras foram retiradas do terreno. Dois caminhões basculantes ficaram lotados com os entulhos.

De acordo com o inspetor do Grupamento Ambiental da GCM, Fábio Rogério Marques, este tipo de ocupação irregular acaba trazendo prejuízos para não apenas o Meio Ambiente, mas também para a sociedade em geral. “Este tipo de ocupação diminui as áreas de preservação, desequilibra fauna e flora locais, altera a vegetação nativa e acaba contribuindo para com a favelização, o que acarreta também futuro problemas de segurança pública.”

Fiscalização

O trabalho existe desde 2009 e as vistorias acontecem todos os dias, inclusive aos sábados, domingos e feriados. Os moradores podem denunciar construções irregulares à Seurb, por meio do telefone 3496 2296 ou pelo atendimento da GCM, no telefone 199.