X

troca de comando

Fiesp aprova destituição de Josué Gomes da presidência

Afastamento foi confirmado no início da noite desta segunda-feira, por 47 votos a 1, diz jornal

Joe Silva

Publicado em 17/01/2023 às 09:36

Atualizado em 17/01/2023 às 09:38

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Uma das críticas da oposição à gestão de Josué Gomes é a de que ele seria ausente do dia a dia da federação, dedicando mais tempo às empresas que administra do que à entidade / Everton Amaro/Fiesp

A Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) confirmou no início da noite desta segunda-feira (16) a destituição de Josué Gomes do cargo de presidente da entidade. O afastamento já era esperado internamente.

Foram 47 votos a 1 na votação que decidiu pela saída de Gomes do comando da instituição, segundo informações do portal g1.

Uma das críticas da oposição à gestão de Josué Gomes é a de que ele seria ausente do dia a dia da federação, dedicando mais tempo às empresas que administra do que à entidade.

A plenária para decidir pelo futuro do então presidente foi marcada após uma sequência de pressões públicas e privadas pela convocação da reunião. O primeiro pedido feito por um grupo de 78 sindicatos foi rejeitado por Josué. Na reunião em que apresentou a decisão, o presidente da Fiesp afirmou que esse tipo de solicitação precisava estar acompanhada de motivos claros e detalhados. 

Alguns dias depois, o grupo encaminhou à Fiesp novo pedido, dessa vez com 12 pedidos de explicações à presidência da Fiesp. Sem resposta do presidente, os sindicatos manifestaram à primeira-secretaria da federação, ocupada pelo industrial Vandermir Francesconi Júnior, a necessidade de realizar a reunião. 

Sem resposta, o grupo publicou a convocação dessa assembleia para o dia 21 de dezembro, mas acabou recuando quando, dia depois, o próprio Josué Gomes convocou a reunião marcada para esta segunda. 

As discordâncias com a atual presidência teriam começado cerca de quatro meses depois do início do mandato e foram se acumulando até que "vazaram" para além do prédio da avenida Paulista, em São Paulo. 

Dirigentes que assinaram o pedido de assembleia reclamam que Josué Gomes não participa do dia a dia da entidade, não recebe representantes dos sindicatos e deixou de receber indicações desses grupos para cargos na federação. 

Gomes substituiu Paulo Skaf no comando da Fiesp, que ficou 17 anos à frente da instituição e o apoiou na disputa. O ex-presidente da Fiesp é apontado como um articulador da crise com o atual, mas aliados o defendem e dizem que ele só foi procurado quando a relação de Josué com os dirigentes já tinha azedado. 

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Polícia

Homem que fazia 'delivery' de maconha é preso em flagrante em Mongaguá

'Disque Droga' funcionava no bairro Itaguaí e funcionava com divulgação nas redes sociais

Diário Mais

Siga 8 passos para tratar a piscina para evitar casos de dengue

Prática saudável da natação pode ser comprometida se medidas adequadas não forem adotadas para prevenir a proliferação do aedes aegypti

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter