Férias dos filhos custam caro aos pais

Pesquisa da FGV aponta que preços de passeios e alimentos subiram, em média, 6,22%

Comentar
Compartilhar
02 FEV 201317h53

A jornalista Karla Marquezin Garcia Messias é mãe de Marcello, de 4 anos de idade, e madrinha de Letícia, de 9 anos. Num passeio ao shopping com as duas crianças ela costuma gastar, no mínimo, R$ 50, num único dia.

“Eles gostam de ir nos brinquedos do shopping, depois tem o lanche, o sorvete. O passeio não sai por menos de R$ 50, mas a gente faz um esforço, e pelo menos duas vezes por mês levamos as crianças ao shopping”. O apelo das crianças, principalmente em período de férias, alimenta a lei da oferta e da procura.

Pesquisa da Fundação Getúlio Vargas divulgada esta semana revela que os itens de férias subiram mais do que a inflação, em 2008. O reajuste médio dos preços de produtos e serviços consumidos durante as férias escolares foi de 6,22%, em 2008, ante 6,07% do Índice de Preços ao Consumidor (IPC). Segundo a pesquisa, esses produtos registraram a maior alta dos últimos quatro anos.

Mas, apesar do alto custo do mercado consumidor infantil, os pais pagam o preço. Em um shopping de Santos, o evento ‘Magic Games’, um mini parque de diversão montado dentro do shopping, recebe cerca de 700 crianças por dia, segundo informou a assessoria de imprensa do shopping. Voltado para crianças até 10 anos de idade, o período mínimo de meia hora dentro do parque custa R$ 7. A maioria das crianças que freqüentam o parquinho tem entre 5 e 7 anos de idade.

A programação que iniciou na primeira semana de janeiro encerra no próximo dia 1º de março. Circo, parque de diversão e ringue de patinação registraram alta de 18,09%, em 2008. Já os itens teatro (13,37%) e show musical (12,83%). De acordo com dados da Fundação, esses itens acumulam alta de mais de 50%, desde 2004.

Os sanduíches também registraram alta expressiva nos preços, de acordo com a pesquisa da FGV. Os preços desses alimentos subiram 9,54% em 2008, e 48,85% nos últimos quatro anos. Hotéis, passagem aérea, excursão e outros produtos e serviços consumidos por crianças e adolescentes durante o período de férias, ficaram em média 15,36% mais caros no ano passado.

A conta do supermercado também pesou no orçamento de Karla, já que biscoitos, doces e salgados também registraram alta. O preço dos biscoitos aumentou 10,07%, e os doces e salgados estão 10,03% mais caros. “Eu compro bolacha recheada, iogurte, salgadinhos e pipoca para eles. E, só com esses itens vão pelo menos R$ 50”, finalizou.