Feira de economia criativa movimenta a Ponta da Praia

A feira Villarejo Art de economia criativa reuniu artesanato caiçara, gastronomia e artes plásticas em frente ao Santos Convention Center

Comentar
Compartilhar
01 AGO 2021Por Da Reportagem21h59
Feira de economia criativa movimenta a Ponta da PraiaFeira de economia criativa movimenta a Ponta da PraiaFoto: FRANCISCO ARRAIS/PMS

Se a praça é um espaço público onde a vida comunitária acontece de forma pulsante em encontros, conversas, eventos e festividades entre pessoas, neste domingo (1º), a revitalizada Gago Coutinho, na Nova Ponta da Praia, mostrou sinais de uma retomada gradual dessas atividades, com munícipes e turistas circulando ao ar livre e seguindo os protocolos sanitários de prevenção à covid-19.

Foi a feira Villarejo Art de economia criativa, que reuniu artesanato caiçara, gastronomia e artes plásticas em frente ao Santos Convention Center. Do José Menino, a professora Denise Melo Nascimento Silva, 42 anos, foi com o marido Ezequiel, 44, e a filha Isabela, 7, prestigiar os produtos de 50 artistas da Região, entre artigos ecológicos, acessórios, moda sustentável, presentes diversos, decoração, jardinagem e cosméticos naturais. 

Ela fez questão de ir de estande em estande conhecer o trabalho de cada artesão. “É um evento interessante em um espaço aberto, onde as famílias podem vir com segurança, além de ser uma oportunidade para os artesãos mostrarem seus trabalhos. O que acho interessante para decorar a casa, estou levando”, disse ela, que levou uma plaquinha alusiva ao café para enfeitar a cozinha. “O momento do café em casa é quando mais conversamos. É importante para nós, por isso fiz questão de comprar essa peça”.

Diversidade e arte

Quem compareceu pôde prestigiar, entre as atrações, exposições de artistas plásticos e fotógrafos, live painting (pintura ao vivo), apresentação de circo para crianças e música ao vivo com João Romualdo, que interpretou canções de MPB, soul e samba.

O trabalho do fotógrafo santista Leandro Ayres era um deles. São fotografias de vários locais de Santos, como Ponta da Praia, Centro e Emissário, utilizando o ícone das tradicionais muretas como moldura. Para ele, a realização do evento faz bem para quem vende e para quem compra, que tem a oportunidade de sair de casa e retomar a vida social ao ar livre, de forma segura. “É importante para manter a dinâmica social e comercial. Isso faz bem para todos e esse espaço agregou muito valor e ajuda a atrair santistas e turistas”.

No estande da artesã Rosemeri Camilo de Souza, 53, de Bertioga, bordados aplicados em tecidos alusivos à Mata Atlântica estão em capas de almofada, jogos americanos, panôs, necessaires, mochilas, bolsas e janelões reciclados. “O movimento está muito bom e com todos se cuidando. Estou gostando muito e com muita esperança que as coisas voltem, aos poucos, ao normal”.  

Variedade

O casal de namorados Beatriz Pinel, 22, e Lucas Monteiro, 25, de Praia Grande, souberam da feira e decidiram comparecer. Aproveitaram para verificar as opções de gastronomia no local, entre quitutes (inclusive veganos), hamburgueres, cafés gourmet, chocolates, geleias e drinques artesanais. “Sempre gostamos de frequentar feiras como essa. Aqui tem muita variedade de coisas, como roupas, óculos, coisas para casa. Achei bacana o ambiente, com crianças, famílias e cachorros passeando”, disse Beatriz. “Se fosse em lugar fechado, ficaríamos com pé atrás. Como vimos que haveria todos os cuidados, resolvemos vir”, completou Lucas.

Protocolos

Para garantir a prevenção à covid-19, a Villarejo Art contou com todas regras e protocolos sanitários, com distanciamento entre as barracas, utilização de máscaras de proteção e álcool em gel disponível para todos os visitantes, além do local amplo e aberto.

Realização

O evento tem apoio da Secretaria de Empreendedorismo, Economia Criativa e Turismo (Seectur), Página Feito em Santos, Museu do Café e Santos Criativa.