Febre amarela: Bertioga faz busca por macacos na mata

Objetivo é monitorar possíveis animais infectados com a doença. Vacinação continua nas unidades básicas de saúde

Comentar
Compartilhar
27 MAR 2018Por Da Reportagem18h18
Até o momento, não há casos febre amarela confirmados ou investigados em BertiogaFoto: Diego Bachiéga/PMB

Mesmo sem casos de febre amarela confirmados ou investigados em Bertioga, a Prefeitura está alerta com a doença. Nas duas últimas semanas, o Departamento de Operações Ambientais (DOA) e a Diretoria de Vigilância em Saúde estão fazendo monitoramento nas regiões de mata da Cidade para mapear e identificar possíveis animais infectados. Nenhum bicho foi encontrado. Um dos locais visitados foi a Casa de Pedra, no início da Serra, na Rodovia Mogi-Bertioga.

No começo da campanha da vacinação contra a doença, muita gente ficou com dúvida se os macacos podem transmitir ou não febre amarela. Na região, são muito comuns os macacos-prego e os bugios.

Caso alguém encontre um macaco morto, a população deve entrar em contato com o DOA, pelo telefone (13) 3317-7073. No fim de semana, por exemplo, o órgão recebeu a informação de que um bicho havia sido encontrado em Guaratuba. Ao chegar ao local, a equipe constatou que o animal na verdade se tratava de um gato, que foi confundido pela população com um macaco. É importante a população avisar os órgãos competentes.

Quando identificados, os animais são enviados para análise no Instituto Adolfo Lutz para confirmar ou não a infecção pela doença. Esse monitoramento é importante para conter o avanço da febre amarela.

Vacinação continua

O Município de Bertioga continua vacinando a população contra a febre amarela. Os interessados em receber a dose da vacina devem comparecer de segunda a sexta-feira, das 9 às 16 horas, a uma das cinco Unidades Básicas de Saúde da Cidade. A ação prossegue até esgotarem os estoques. Até a última segunda-feira (23), 24.792 pessoas foram vacinadas. No início da campanha, em janeiro, o Estado previa imunizar 46 mil pessoas.