X
Cotidiano

Família fabrica e expõe artesanato em madeira em Itanhaém

Utensílios de cozinha, porta-vasos, oratórios e objetos de decoração estão expostos na loja da família

Atualmente, todos os integrantes da família auxiliam na confecção dos objetos de artesanato para o estabelecimento. / Nair Bueno/Diário do Litoral

Porta-vasos, porta-temperos, utensílios de cozinha, oratórios e diversos objetos de decoração são feitos e expostos na loja de artesanato da família Nagata, em Itanhaém. A inspiração veio a partir do pai Roberto de Jesus Nagata, de 61 anos, que começou a trabalhar com o artesanato em madeira após a sua aposentadoria, aos 52 anos, em São Paulo.

A família decidiu abrir uma loja para ter um espaço próprio, há cerca de cinco meses, em Itanhaém. O pai é quem fabrica os objetos em madeira, desde utensílios de cozinha até peças de decoração, e também faz móveis e luminárias. A oficina de trabalho é na sua própria casa.

"Inicialmente, meu pai começou a fazer os objetos em madeira, mas ele aprendeu a técnica sozinho. E começou a expor na feira do Museu Ipiranga, na Capital", conta a filha e artesã Gabriela Nagata (30).

A família resolveu vir morar em Itanhaém e começou a expor os trabalhos na Colônia de Férias dos Cabos e Soldados, no ano de 2018, porém, com a pandemia do Covid-19, em 2020, a colônia fechou ao público.

"Conhecemos a Casa do Artesão de Itanhaém e começamos a expor e a divulgar as peças lá. Também conseguimos um espaço na Feirinha de Artesanato, que funciona aos sábados, no estacionamento da prefeitura", explica.

Todos os integrantes da família auxiliam na confecção dos objetos de artesanato. A mãe de Gabriela, Maria Aparecida da Silva Nagata (59), recolhe os troncos de madeira achados na praia e, após lixar e passar o verniz, ela monta os porta-vasos. Além de fazer alguns mobiles com conchas que encontra na areia da praia.

Já Gabriela trabalha com as esculturas de biscuit e também com objetos de decoração em cerâmica, que faz na própria loja. "Todos nós sempre gostamos de trabalhar com o artesanato e temos a habilidade para montar e criar as peças".

Alguns objetos em tecido, como bolsas, carteiras e, ainda, bijuterias variadas estão expostos na loja, mas são feitos por outras artesãs amigas da família.

"Após montarmos a loja, começaram a surgir novas ideias de objetos diferentes, já que o espaço é bem maior e podemos expor as peças aos clientes", salienta.

Entre as mais procuradas pelo público, segundo Gabriela, estão as tábuas de churrasco e outros utensílios de cozinha, todos feitos em madeira.

A loja também trabalha com encomendas. "Recebemos várias encomendas, pois assim, as pessoas pedem o modelo e a cor de objetos que preferem, como porta-temperos, porta-vasos, entre outros", completa.

PLANOS

Sobre os planos futuros, Gabriela conta que aposta no crescimento das vendas na loja, já que no ano passado, o movimento foi fraco devido às restrições da pandemia.

"Na cidade é bem difícil encontrar um comércio que forneça o material utilizado para fazer as peças de artesanato. Temos que ir buscar em São Paulo. Uma das ideias é trazer a matéria prima para vender aos demais artesãos de Itanhaém", finaliza.

A divulgação dos trabalhos tem sido feita pelas redes sociais, no Facebook e no Instagram, como @nagata_madeira_gourmet e ainda @gabinagataartesã.

A loja funciona de segunda-feira a sábado, no horário das 9 às 17 horas, na rua João Mariano Ferreira, 182, no bairro Vila São Paulo, em Itanhaém.
 

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Santos

Semana do Brincar em Santos começa neste domingo com atividades para a família na orla

De 23 a 26 de maio, várias atividades serão realizadas nas escolas municipais

Polícia

Caçada a Cupertino teve campana em velório e fuga em caminhão de melancia

Polícia Civil usou um leque variado de estratégias de investigação na caçada do empresário acusado de matar o ator de Chiquititas Rafael Miguel e os pais

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software