Faculdade de Medicina em Cubatão está em fase de credenciamento pelo MEC

Serão ofertadas 55 vagas com previsão de início em fevereiro de 2019

Comentar
Compartilhar
26 OUT 2018Por Da Reportagem18h03
A visita in loco aconteceu nos dias 25 e 26 de outubro e teve início no gabinete do prefeito de Cubatão, Ademário OliveiraA visita in loco aconteceu nos dias 25 e 26 de outubro e teve início no gabinete do prefeito de Cubatão, Ademário OliveiraFoto: Divulgação/PMC

A primeira faculdade de medicina de Cubatão já está em processo de credenciamento e autorização por parte do Ministério da Educação (MEC). A visita in loco aconteceu nos dias 25 e 26 de outubro e teve início no gabinete do prefeito de Cubatão, Ademário Oliveira, na manhã desta quinta-feira. Deste encontro, participaram representantes da Comissão de Acompanhamento e Monitoramento das Escolas Médicas (Camem), Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) - ligados ao Ministério da Educação (MEC), Grupo Ânima Educação (mantenedora da faculdade) e Universidade São Judas Tadeu.

Uma série de ações colaborou para a aprovação; entre as iniciativas, está a reabertura do Hospital de Cubatão e a futura instalação dos serviços de alta complexidade, com atendimento para tratamento oncológico, hemodiálise e oxigenoterapia.

"Reconhecemos que o Município se empenhou para fornecer a estrutura necessária com a rede de saúde. A faculdade também demonstrou um grande avanço e ambos deram condições para a instalação do curso, o que nos deixa bastante felizes", enfatizou o médico e membro da Camem, João Brizario.

"A Universidade está bem alinhada e comprometida; conheceu o Município, conversou com os médicos. Este é um passo muito grande em termos de tecnologia e qualidade para nossa Cidade que já sofreu muito", comemorou a secretária de Saúde, Andréa Pinheiro.

A faculdade de medicina vai ofertar 55 vagas e o próximo passo é a realização do vestibular. A previsão é de que a primeira turma comece em fevereiro de 2019. Inicialmente, a faculdade funcionará no antigo prédio da Justiça do Trabalho, que fica na rua São Paulo, s/nº, Jardim São Francisco. Futuramente, dentro do projeto de expansão da instituição, haverá a construção do campus da faculdade que abrigará também a nova Policlínica de Cubatão. Esse campus será erguido na Av. Martins Fontes, atrás do Pronto Socorro Central e do Hospital Municipal.

"O objetivo é criar uma rede-escola em que o curso esteja alinhado à realidade do Munícipio. Hoje há poucos médicos credenciados na Cidade, na rede particular. Com a instalação da faculdade e a rede pública já estruturada, mais profissionais atuarão aqui, criarão um vínculo e fincarão raízes", declarou o diretor adjunto da Universidade São Judas, José Lúcio Martins Machado.

Avanço econômico

O prefeito Ademário Oliveira ressaltou a importância da instalação da faculdade de medicina não somente na área da saúde. "Com a chegada dos alunos, o curso trará benefícios para a economia de nossa Cidade, que sofreu com as últimas crises. E seguimos avançando com um modelo economicamente sustentável, agregando Hospital, Pronto Socorro Central e Infantil e os próximos serviços a serem instalados", declarou o prefeito.

Também estiveram na reunião a secretária-adjunta de Saúde Denise Filomena Rodrigues, o diretor-adjunto da São Judas Marcos Calvo, Cristiane de Aquino, do núcleo gestor do MEC; do Inep participaram Ricardo Fernandez (Universidade Federal do Paraná) e Antônio Caldeira (Universidade Estadual de Montes Claros); e do Grupo Ânima, a diretora acadêmica na área da saúde Flávia Abade, a diretora de regulação Ana Paulo Dornelles e o diretor do curso de medicina Adalto Côrrea.  Após a reunião, as equipes visitaram o campus, o Hospital Municipal e a rede pública de atenção básica à saúde.

Comissões

O processo de autorização do curso está acontecendo em duas etapas com a Camem e o Inep. A Camem, vinculada ao Ministério da Educação (Mec) tem por finalidade ampliar a oferta de vagas em cursos de graduação em medicina no âmbito das Instituições Federais de Ensino Superior (IFES), a fim de diminuir a carência de médicos no País e reduzir as desigualdades regionais na área de saúde - objetivos que também estão presentes no Programa Mais Médicos do Governo Federal.

Entre as competências estão monitorar a implantação do curso de graduação na Cidade. O acompanhamento também ocorre uma vez por ano pela comissão para avaliar o andamento do curso. Já o Inep é uma autarquia federal vinculada ao MEC que subsidia a formulação de políticas educacionais dos diferentes níveis de governo com intuito de contribuir para o desenvolvimento econômico e social do país.