Expansão do mercado pet abre espaço para novos profissionais na Região

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que existem cerca de 132 milhões de animais de estimação no país, o que coloca o Brasil como terceiro maior mercado mundial pet.

Comentar
Compartilhar
28 ABR 2019Por Vanessa Pimentel07h23
Empresa faz o trâmite necessário para obtenção do Certificado Zoossanitário Internacional (CZI), documento obrigatório.Empresa faz o trâmite necessário para obtenção do Certificado Zoossanitário Internacional (CZI), documento obrigatório.Foto: Rodrigo Montaldi/DL

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que existem cerca de 132 milhões de animais de estimação no país, o que coloca o Brasil como terceiro maior mercado mundial pet. Inspirados nesse crescimento, diversos profissionais estão buscando especialização na área.

Este é o caso do santista Otávio Alves Mattei, que quando terminou o ensino médio, há dez anos, estava em dúvida sobre qual curso gostaria de fazer na faculdade. Enquanto decidia, começou a trabalhar em um pet shop de um amigo. Os oito meses que passou por lá foram suficientes para que Otávio enxergasse um novo caminho profissional: "dog walker" (passeador de cães).

Hoje, ele e seus dois irmãos estão à frente da empresa Brothers - Passeio e Assessoria Canina, que oferece caminhadas diárias com cães, adestramento, análise comportamental, socialização e pet sitter (babá), em Santos. Eles também realizam o trâmite necessário para obtenção do Certificado Zoossanitário Internacional (CZI), documento obrigatório para tutores que desejam levar animais de estimação em viagens entre países.

De acordo com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), ao contratar um passeador de cães, o proprietário economiza tempo e proporciona bem-estar ao seu animal de estimação, pois garantirá que ele se exercite diariamente e que interaja com outros animais. Dessa forma, o proprietário também se beneficia, pois terá como companhia um animal feliz, com carga de ansiedade menor.

Para oferecer os serviços, Otávio e o irmão foram estudar. Fizeram os cursos obrigatórios que legalizam a função.

"Isso foi muito importante para dar credibilidade ao nosso trabalho, até porque hoje em dia os cachorros são como filhos e não é fácil dar o seu filho na mão de qualquer pessoa", explica Otávio.

O trato mais humanizado dos irmãos com os animais de estimação alheios conquistou a confiança dos clientes. Hoje, a média de passeios diários é de 20 cães, divididos em grupos de três ou quatro animais, de acordo com idade, energia e comportamento. Os pacotes são mensais e variam de R$200 a R$300, dependendo da quantidade de passeios.

Mas, quem pensa que o trabalho é fácil, Otávio explica que não é bem assim. "A pessoa precisa realmente gostar de animais porque cada cachorro tem um comportamento", diz.