Excesso de veículos e acidentes marcam saída de São Paulo

Quem optou pelas praias da Baixada Santista pegou muito trânsito, mas no final da tarde os pontos de congestionamento eram esparsos

Comentar
Compartilhar
20 DEZ 201320h39

Rodovias com excesso de veículos e vários acidentes marcaram a saída do paulistano para o feriado prolongado do Natal, no fim da tarde desta sexta-feira, 20. Na Rodovia dos Bandeirantes, vários carros se envolveram em colisões entre a capital paulista e a região de Jundiaí. Duas faixas da pista expressa chegaram a ser interditadas, no km 26, na altura de Caieiras e, às 18 horas, a fila de carros se estendia por três quilômetros. Outro acidente aconteceu no km 42, em Caieiras, estendendo o congestionamento até o km 38. Não havia informações sobre feridos.

A Castelo Branco tinha tráfego lento na pista expressa desde o Cebolão até Barueri. Uma colisão entre dois carros no km 14 prejudicava ainda mais o fluxo às 18 horas. Já por excesso de veículos, o trânsito parava do km 21 ao km 24, em Barueri. A marginal também estava congestionada. Na rodovia de acesso da Castelo a Sorocaba, uma carreta tombou por volta das 17h30 e duas pessoas ficaram feridas, sendo levadas ao Hospital Regional da cidade.

Rodovias com excesso de veículos e vários acidentes marcaram a saída do paulistano para o feriado prolongado (Foto: Luiz Torres/DL)

Na Régis Bittencourt, uma carreta bateu num guincho no início do trecho paranaense, no km 9, e metade da pista foi interditada. Motoristas que saíam de São Paulo pegavam uma fila de veículos do km 339 ao km 346, entre Juquitiba e Miracatu, na Serra do Cafezal.

Litoral

Quem optou pelas praias da Baixada Santista pegou muito trânsito, mas no final da tarde os pontos de congestionamento eram esparsos. Às 18 horas, o trânsito parava do km 39 ao km 42 da Anchieta, em São Bernardo do Campo, e do km 61 ao km 65, na chegada a Santos, em razão do excesso de veículos. Na Imigrantes, o trânsito tinha fila do km 40 ao km 43, em São Bernardo do Campo. Após a descida da serra, o motorista que seguia para Cubatão ou o Guarujá pegava outra fila de quatro quilômetros na Rodovia Cônego Domênico Rangoni.