Eventos do Carnaval têm esquema especial de segurança em Santos

A passarela terá o suporte de 85 profissionais de saúde para quaisquer ocorrências, com apoio de quatro postos de atendimento e sete ambulâncias

Comentar
Compartilhar
10 FEV 201511h41

Para garantir a tranquilidade durante o carnaval, a Prefeitura mobiliza um grande efetivo. Somente para a Passarela de Samba Dráusio da Cruz (Av. Afonso Schmidt, s/nº, no Areia Branca), onde se espera público de 10.500 pessoas por noite de desfile, serão quase 600 profissionais, entre guardas municipais, controladores de acessos, brigadistas, bombeiros civis, profissionais de saúde, agentes de trânsito, técnicos da Defesa Civil e efetivo da Polícia Militar.

O sambódromo é dotado de extintores, rotas de fuga e saídas de emergência, e os representantes das nove entidades beneficentes responsáveis pelas lanchonetes passaram por curso de prevenção e combate a incêndio. Agora a Prefeitura aguarda inspeção para obter o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) provisório do evento.

“Uma das novidades de segurança neste ano são as arquibancadas mais largas, para o melhor fluxo das pessoas”, explica o chefe do Departamento de Eventos e Produção Cultural da Secretaria de Cultura (Secult), Alex Torres da Silva. A passarela terá o suporte de 85 profissionais de saúde para quaisquer ocorrências, com apoio de quatro postos de atendimento e sete ambulâncias.

“É importante que as pessoas estejam hidratadas, usem roupas adequadas e, se forem consumir bebida alcóolica, façam com moderação. Quem exagera não se diverte e perde a festa”, alerta a enfermeira Sandra Gallo, chefe do Departamento de Regulação do Sistema – Saúde.

Quase 600 profissionais, entre guardas municipais, bombeiros e Polícia Militar serão deslocados para a Passarela do Samba Dráusio da Cruz (Foto: Anderson Bianchi/PMS)

Regras

Não será permitido entrar no sambódromo com itens pontiagudos, guarda-chuva, garrafas plásticas, isopores, vidros, fogos e capacetes. O desfile ocorre no sábado (14), domingo (15) e dia 16, a partir das 21h.

Desfile

14 mil componentes desfilam pelas 17 agremiações nas três noites.

10.500 pessoas por noite são esperadas, sendo 7.500 nas sete arquibancadas e 2.500 nos oito camarotes.

600 profissionais serão mobilizados nas áreas de segurança e saúde.

85 controladores de acessos trabalharão na área interna.

84 profissionais de saúde por noite, entre eles 54 maqueiros, 19 técnicos de enfermagem, cinco enfermeiros e dois médicos.

7 ambulâncias - duas delas avançadas (com UTI), junto aos postos médicos, e outras cinco básicas entre as arquibancadas (02 e 03, 04 e 05 e 06 e 07), pátio dos carros alegóricos e junto à área de concentração do desfile.

4 postos de saúde – dois postos– um avançado centralizador (próximo à dispersão) e um avançado de apoio (atrás do camarote) - e dois postos de enfermagem (nos salões de festas dos conjuntos do Estradão).

Posto médico avançado centralizador conta com consultório médico, salas de emergência, de medicação e inaloterapia, repouso masculino e repouso feminino, guarda de material e apoio às equipes e banheiros de uso exclusivo.

Carnabanda

1 segurança para cada 100 foliões é exigido no regulamento do evento (decreto n° 6.980/2014).

2 brigadistas acompanham o carro de som, além dos profissionais da Secretaria de Cultura, efetivo da Polícia Militar (Operação Delegada), agentes da CET e apoio da Guarda Municipal.

SAMU fica a postos pelo telefone 192.

Tendas

2 controladores de acessos por tenda, além do apoio da Guarda Municipal.

2 bombeiros civis por tenda, dotados de equipamentos contra princípios de incêndios e prestar primeiros socorros.

Samu fica a postos pelo telefone 192.

Colunas

Contraponto