X
Cotidiano

Evento inédito vai unir música clássica e choro no Emissário

O projeto Orquestra na Rua e alunos da escola do Clube do Choro se apresentam hoje no Quebra-mar

O projeto Orquestra na Rua se uniu aos alunos da escola de Choro e Cidadania para realizar pela primeira vez na região, um encontro entre música clássica e choro / Matheus Tagé/DL

O Parque Roberto Mario Santini, popularmente conhecido como Emissário Submarino, será palco de uma união inédita entre dois projetos de música da região: a Maratona Cultural – Orquestra na Rua e os alunos da Escola de Choro e Cidadania Luizinho 7 Cordas.  O concerto acontece às 17h30 e é gratuito. Premiados no 5º Concurso de Apoio a Projetos Culturais no Município de Santos, realizado pela Secretaria de Cultura (Secult), o projeto Orquestra na Rua segue para o segundo espetáculo do cronograma.

A ideia de unir os dois estilos musicais nasceu após uma apresentação da Orquestra em frente à sede do Clube do Choro, no Centro Histórico de Santos.

“Estávamos tocando em um festival e conhecemos um dos integrantes do clube. Durante o bate-papo surgiu o convite e este ano conseguimos tirar a ideia do papel”, explica Leonardo Mallet, um dos idealizadores do projeto.

O concerto será divido em duas partes: a primeira contará apenas com música erudita e os instrumentos clássicos. Em seguida os alunos da escola de choro se unem a orquestra para um repertório recheado de músicas brasileiras como O Que Será?, de Chico Buarque, Carinhoso, de Pixinguinha e Trem Das Onze, de Adoniran ­Barbosa.
“Eu estou ansioso porque nunca fizemos nada assim, mas a cada ensaio fico mais confiante de que o público vai curtir”, declara Mallet.

William Dias, maestro da escola de choro há seis anos, diz que os alunos estão empolgados com a oportunidade de tocar com uma orquestra. “É uma troca de experiência muito legal tanto para quem está acostumado a tocar música erudita quanto para quem toca o choro, que é um estilo mais popular”, explica William.

Durante o evento, o caricaturista Dodô Vieira  irá retratar o público presente. Parte do valor arrecadado com a venda dos desenhos será destinada a campanha Orquestra na Kombi.

O ensaio, com início às 13h, também é aberto ao público. Em caso de chuva o evento será adiado e as informações sobre o novo local serão colocadas na página da Orquestra na Rua, no ­Facebook.

Campanha

O projeto Maratona Cultural - Orquestra na Rua visa tirar a música orquestral dos teatros e levá-la para a rua com intuito de democratizá-la. Em dias de apresentação, além dos músicos, uma orquestra carrega aonde vai instrumentos nem sempre compactos, como o ­Violoncelo.

Sem apoio, umas das maiores dificuldades encontradas para levar o projeto a outros lugares é o transporte. Por isso, a Orquestra na Rua lançou a campanha “Orquestra na Kombi”.

A meta estipulada para a compra do veículo gira em torno de R$16 mil. Para chegar até este valor, a equipe realiza diferentes ações, tanto na internet quanto nas apresentações ao vivo, onde o público pode adquirir produtos na loja da orquestra ou contribuir com o “chapéu”.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Itanhaém

Audiência pública discute propostas sobre zoneamento urbano em Itanhaém

Empresa Geo Brasilis apresentou informações técnicas sobre as características do município

Saúde

Ocupação de leitos de UTI de Covid-19 só aumenta na Baixada Santista

Região ainda não teve um único dia de diminuição de leitos ocupados durante todo o ano de 2022 segundo Seade

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software