EUA: desaparecidos em deslizamento de terra diminui

O número oficial até agora pode subir um pouco, pois há mais 35 pessoas que podem ou não ter estado na comunidade no momento do acidente

Comentar
Compartilhar
27 MAR 201412h13

Autoridades informaram que o número de pessoas que estão desaparecidas no deslizamento de terra que atingiu no sábado a comunidade rural de Oso, no estado de Washington, é menor do que o inicialmente divulgado. O Corpo de Bombeiros agora fala em 90 desaparecidos, e não em 220 como anteriormente noticiado. Enquanto isso, a esperança de encontrar sobreviventes é cada vez menor entre familiares e amigos das vítimas.

O número oficial de mortos manteve-se em 16, enquanto espera-se a retirada de oito corpos já localizados, disse John Pennington, diretor de Gerenciamento de Emergências do Condado de Snohomish. Autoridades afirmam que esperam que mais corpos sejam encontrados nesta quinta-feira.

O número de desaparecidos tem sido bastante flutuante nos últimos dias. Em um primeiro momento, era 220, total que foi diminuindo até chegar em 90 à medida que os familiares localizaram as pessoas em outros lugares que não a região atingida pelo desastre. O número oficial até agora pode subir um pouco, pois há mais 35 pessoas que podem ou não ter estado na comunidade no momento do acidente.

As chuvas e a possibilidade de novos desmoronamentos diminuem as chances de encontrar sobreviventes entre a lama. O Corpo de Bombeiros usa cães, escavadeiras, pás e as próprias mãos para revirar os escombros. Agora, as autoridades já avaliam que alguns corpos poderão nunca serem resgatados, devido ao perigo de novos desastres.

 O Corpo de Bombeiros agora fala em 90 desaparecidos, e não em 220 como anteriormente noticiado (Foto: Joshua Trujillo/Associated Press/Estadão Conteúdo)

O fato de que algumas pessoas podem nunca serem encontradas é difícil de ser assimilado pela família. "Eu honestamente não acho que vão encontrá-los vivos", disse Becky Bach, que procura por seu irmão, sua cunhada, uma sobrinha e o noivo da garota. "Mas, como família, estamos tentando descobrir o que fazer se não encontrarem nenhum corpo."