Estupro de vulnerável cresce 227% em cidades do Vale

Em Registro, Iguape e Cajati o número de ocorrências passou de 11 para 36 entre os anos de 2016 e 2017

Comentar
Compartilhar
26 JAN 2018Por Da Reportagem04h31

Os municípios de Registro, Iguape e Cajati registraram um aumento no número de estupros de vulnerável. O total de casos nas três maiores cidades do Vale do Ribeira cresceu 227,2% em um ano, passando de 11 ocorrências em 2016 para 36 em 2017. Os dados foram divulgados nesta semana pela Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo.

O número de homicídios dolosos teve alta de 100%, passando de 7 em 2016 para 14 em 2017. Os casos de roubo de carga também cresceram, de 16 para 24, um aumento de 50% em 12 meses.

A maior parte das ocorrências entre os dois anos são de furto. Foram 1297 casos registrados em 2016 contra 1454 em 2017, uma variação de 12,1%. O número de estupros cresceu de 53 para 58 (alta de 9,4%), enquanto o de roubos passou de 244 para 265 (8,6%).

Já os registros de roubo de veículos tiveram retração de 45,4%, passando de 22 ocorrências em 2016 para 12 no ano passado. Já o de furtos de veículos recuou 29,5%, indo de 98 em 2016 para 69 em 2017.

Não foram registradas ocorrências de roubo a banco, latrocínio ou vítimas de acidentes de trânsito.

Região

Se analisados os indicadores de todas as cidades do Vale do Ribeira e da Baixada Santista, houve redução nos homicídios, latrocínios e roubos em geral, além de outros cinco indicadores, em comparação ao ano de 2016.

O total de casos de homicídios dolosos caiu 5,06%, de 178 para 169. O número de vítimas reduziu em 5,43%, passando de 184 para 174 em 2017. Ambos indicadores representam o menor número para a região desde o início da série histórica.