Estão abertas as inscrições para nova turma de curso de libras online

São mais 50 mil vagas para professores, diretores e funcionários do quadro de apoio; curso também está disponível para alunos e ex-alunos com e sem deficiência auditiva da rede estadual

Comentar
Compartilhar
20 MAI 201412h16

Os servidores da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo interessados em aprender a Língua Brasileira de Sinais poderão se inscrever na nova turma do Curso de Libras Online. Estão abertas mais 50 mil vagas em todo o Estado para o programa oferecido pela Escola Virtual de Programas Educacionais (Evesp). As inscrições vão até 25 de maio e devem ser feitas no Portal da Educação (www.educacao.sp.gov.br).

As aulas da primeira turma do curso começam nesta semana. Professores, diretores, agentes de serviço e de organização escolar da rede estadual já estão matriculados no curso. A ação faz parte da política inclusiva da Secretaria adotada por todas as unidades de ensino e para os servidores é válida para evolução funcional.

Para atender a esse público, o programa criado em 2013 e originalmente desenvolvido para os alunos surdos e ouvintes do Ensino Fundamental e Médio foi atualizado com vídeos exclusivos produzidos pela equipe do Centro de Apoio Pedagógico Especializado (CAPE). A carga horária também foi ampliada de 80 para 90h.

Os participantes têm ainda acesso a avatares em 3D que reproduzem situações do cotidiano - como passeios em shoppings, aulas de educação física, festas em casas noturnas – que auxiliam o aprendizado.

Estão abertas mais 50 mil vagas em todo o Estado para o programa (Foto: Divulgação)

"Além dos servidores e alunos, com deficiência ou ouvintes, a Secretaria também ampliou o curso para ex-alunos da rede estadual que concluíram o Ensino Médio entre 2010 e 2013. Assim, eles terão a chance de adquirir conhecimentos de Libras e garantir o direito da inclusão”, afirma Ana Carolina Lafemina, coordenadora da Evesp.

Para os estudantes, as unidades contam ainda com vídeos interativos gravados com alunos com deficiência auditiva e ouvintes da rede estadual, além de professores e funcionários. Em 2013, mais de 4 mil concluíram os módulos.