Estado marca audiência para discutir assoreamento dos rios de Cubatão

Governador Geraldo Alckmin receberá prefeita Márcia Rosa na primeira semana de janeiro para definir ações e prazos para desassoreamento

Comentar
Compartilhar
22 DEZ 201315h51

O governador Geraldo Alckmin anunciou neste sábado (21), durante visita à Baixada Santista, que irá receber a prefeita Márcia Rosa e autoridades cubatenses na primeira semana de janeiro, para discussão de ações e prazos para o desassoreamento dos rios que cortam o Município. A audiência foi confirmada durante evento de abertura da alça de acesso da Rodovia Padre Manuel da Nóbrega (SP-55), em Cubatão, no início da tarde de ontem (21).

Em nome da chefe do Executivo, o representante da Prefeitura no Comitê de Bacias Hidrográficas da Baixada Santista (CBH-BS), Silvano Lacerda, lembrou Alckmin dos diversos ofícios da Municipalidade solicitando uma audiência para agilizar a realização do desassoreamento dos rios, serviço a cargo do Governo do Estado, por meio do Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE). "Após ouvir mais uma vez nossa reivindicação, o governador solicitou o agendamento da reunião para a primeira semana de janeiro, em data a ser definida nos próximos dias. O período de chuvas está próximo e a execução do trabalho é de extrema urgência", afirmou.

Também estiveram presentes técnicos municipais e o secretário municipal de Governo, José Carlos Ribeiro. O desassoreamento é a retirada de sedimentos dos rios, visando a aumentar a profundidade dos leitos e facilitar a vazão de água, o que é decisivo para evitar enchentes como a ocorrida em 22 de fevereiro, que afetou mais de 60% da população cubatense. Esse serviço deve ser realizado constantemente, em média a cada cinco anos. Mas, segundo estudos da Prefeitura, ação deste tipo não acontece no Município há mais de 30 anos.

Recentemente, o CBH-BS aprovou por unanimidade a liberação de recursos estaduais na ordem de R$ 1,2 milhão visando à elaboração do projeto executivo para o desassoreamento dos rios da cidade, antigo pleito da Prefeitura. Agora, cabe aos departamentos competentes realizarem os procedimentos necessários no menor tempo possível. Em tempo, a Municipalidade tem realizado serviços constantes de limpeza de galerias e vias, além de protocolar no Governo Federal projeto de um amplo plano municipal de macrodrenagem, que está em fase de liberação.

O desassoreamento é a retirada de sedimentos dos rios, visando a aumentar a profundidade dos leitos e facilitar a vazão de água (Foto: Divulgação/Secom/PMC)

Protesto

Durante o evento promovido pelo Governo do Estado em Cubatão na tarde deste sábado, um grupo de moradores da região do Caminho dos Pilões, próximo à nova alça da SP-55, reivindicou a Geraldo Alckmin o desassoreamento do rio Pilões e dos demais existentes na Cidade. Eles afirmaram que a população há tempos solicita o serviço e que a segurança de centenas de famílias está em risco. Alckimin confirmou durante entrevistas e aos manifestantes que o Estado irá realizar obras para diminuir o assoreamento dos rios cubatenses.

Trânsito

A nova alça da Padre Manoel da Nóbrega representa o sucesso das gestões da Prefeitura para coibir os constantes congestionamentos na região. A obra realizada pela Ecovias sofreu alterações e melhorias após a série de reuniões promovidas pela Prefeitura de Cubatão nos últimos meses com empresários, autoridades e responsáveis pela logística portuária regional, objetivando soluções para o gargalo viário existente nas rodovias que cortam a Cidade.

"Nossa atuação frente aos congestionamentos começa a dar resultados, que melhorarão o tráfego em toda a Região. Sempre buscamos o diálogo e o resultado prático disso é que todas as ações envolvendo o Porto de Santos agora são tratadas de forma metropolitana. Cada vez mais, Cubatão tem voz e é respeitada no contexto regional", pondera a prefeita Marcia Rosa.