SABESP AGOSTO DESK TOPO
SABESP AGOSTO MOB

Escoteiros homenageiam profissionais da saúde em São Vicente

Cerca de 40 cartinhas serão entregues na manhã de quarta-feira (10), em hospital de campanha

Comentar
Compartilhar
09 JUN 2020Por Da Reportagem14h02
Cartas serão entregues para agradecer e incentivar as equipes que atuam na unidade de combate ao coronavírus de São Vicente, montada no Hospital São José.Foto: Divulgação/PMSV

Os escoteiros de São Vicente se uniram para homenagear os “heróis da saúde”, os profissionais de diferentes funções, do acolhimento à UTI, que tanto se dedicam no combate ao coronavírus.

Cumprindo isolamento social conforme orientação dos Escoteiros do Brasil, os lobinhos – escoteiros de 6 a 11 anos – dos dois grupos da Cidade (o São Vicente e o Ipupiara) fizeram a homenagem sem sair de casa. Eles escreveram 40 cartas que serão entregues às 10 horas de quarta-feira (10), para agradecer e incentivar as equipes que atuam na unidade de combate ao coronavírus de São Vicente, montada no Hospital São José.

“O segundo artigo da lei do lobinho diz ‘o lobinho pensa primeiro nos outros’, mas como o primeiro artigo está relacionado a obedecer aos mais velhos e cumprir as regras (o lobinho ouve sempre os velhos lobos), eles arrumaram um jeito de levar um pouco de carinho ao próximo, mas sem descumprir o isolamento social”, afirma a coordenadora-adjunta do Ramo Lobinho na Baixada Santista, Elizabeth Aparecida Muniz Laurindo, que organizou o projeto em São Vicente.

Inspirados pelos mais novos, alguns jovens de uma tropa escoteira de São Vicente decidiram também participar da boa ação. Os meninos de 11 a 15 anos escreveram frases motivacionais e de gratidão a esses profissionais que foram reunidas em um vídeo montado por um deles, o escoteiro James S. Carvalho Júnior, de 12 anos. O vídeo está sendo compartilhado pela internet e há expectativa de que as mensagens sejam impressas e expostas em alguma área comum do hospital para impactar positivamente profissionais, pacientes e acompanhantes nesse momento de pandemia.

Para Elizabeth, o fato de uma simples iniciativa de altruísmo como essa dos escoteiros ter partido de um jovem é o seu maior pagamento como voluntária. “Nós trabalhamos muito como voluntários, mas sempre vale a pena. Não tem idade para ser escoteiro, quem quiser ser um voluntário pode procurar a instituição quando tudo isso passar”, completou.

Sobre o Escotismo

 Fundado em 1907, na Inglaterra, por Baden-Powell, o Escotismo chegou ao Brasil em 1910. Conta com a colaboração de adultos e valoriza a participação de todas as origens sociais, raças e credos. Tem como objetivo preparar para a vida jovens de carácter por meio de um método baseado em jogos, trabalho em equipe e atividades ao ar livre. No Brasil, a organização é reconhecida como de utilidade pública por meio do Decreto Federal nº 3.297/17 e como instituição de educação extra escolar pela Lei nº. 8.828/46.