Escolas municipais de Santos realizam feira de ciências

Nesta sexta-feira (28), a Cidade de Santos (Embaré) abriu suas portas para que as famílias pudessem ver a exposição feita pelos estudantes

Comentar
Compartilhar
28 SET 2018Por Da Reportagem17h31
Nas salas de aula foram expostas as pesquisas e trabalhos elaborados pelos alunosNas salas de aula foram expostas as pesquisas e trabalhos elaborados pelos alunosFoto: Divulgação/PMS

Durante toda a segunda quinzena de setembro, as 81 escolas municipais preparam suas Feiras de Ciências, de acordo com o calendário escolar. Cada unidade escolheu um dia para o evento. Nesta sexta-feira (28), a Cidade de Santos (Embaré) abriu suas portas para que as famílias pudessem ver a exposição feita pelos estudantes.

Nas salas de aula foram expostas as pesquisas e trabalhos elaborados pelos alunos, com o auxílio dos professores. A turma do fundamental I mostrou todos os aspectos da região Norte do País e, a do fundamental II ficou responsável pelas regiões Nordeste (6º ano), Sul (7º), Centro-Oeste (8º) e Sudeste (9º), apresentando suas características, inclusive as comidas típicas. As danças e músicas regionais também fizeram parte da programação. No pátio, os alunos da Rádio Jovem da escola animaram a festa.

Estudantes do 9º ano ainda montaram um espaço para falar sobre doenças sexualmente transmissíveis com os adultos e sobre 'sapinho' (candidíase oral) com os menores.

Além disso, o professor de matemática Alessandro Silvério explicou sobre densidade, por meio de três experiências. "Tenho aqui a representação da areia movediça, feita com água e amido de milho. Quando pressionado, se comporta como sólido e quando não, como líquido", explicou. Mostrou também que um ovo, mesmo que não esteja estragado pode boiar em uma água com sal e ainda apresentou dois copos com uma mistura de água e pó de gelatina que se misturariam facilmente, no entanto, ao acrescentar o açúcar, a densidade muda e os líquidos ficam separados dentro de um mesmo recipiente.

A professora de língua portuguesa, dos 8os e 9os anos, Angélica Carreira Bela Alves contou sobre os trabalhos de sua turma. "Além da pesquisa sobre o Sudeste, também realizaram a releitura da capa do livro O fantasma do Shopping Ópera. Trouxe para a feira o carrinho itinerante do projeto Roda de leitura, para alunos dos anos finais do Ensino Fundamental II: uma didática para o incentivo à leitura', que fez parte do meu trabalho de mestrado e que é um sucesso entre os estudantes".

Aluna da professora Angélia, Giovanna Cristina de Sousa Santos, 14, confirmou o gosto pelo projeto de leitura e destacou a importância de participar da feira. "Eu adoro ler e por isso o projeto é a minha parte preferida. Fico feliz de apresentar os trabalhos que fizemos aqui".

Ana Paula Pinto Amorim, 37, é mãe da aluna do quarto ano, Pyetra, 9, e fez questão de conferir a exposição. "Acho importante interagir com a escola de nossos filhos".

Segundo a diretora da escola, Joana Costal, é um momento importante para alunos, famílias e professores. "Todos se dedicaram muito para apresentar esta grande festa".