Escolas em Santos reabrem após recesso com foco no presencial de 100% em agosto

Após recesso escolar, as unidades da rede municipal receberam as crianças, ainda de forma híbrida, mas já de olho na mudança prevista para dia 2 de agosto

Comentar
Compartilhar
22 JUL 2021Por Da Reportagem15h00
Neste retorno de até 100% dos alunos, os pais vão poder optar pelo ensino remoto, sem a necessidade de levar os filhos à unidadeNeste retorno de até 100% dos alunos, os pais vão poder optar pelo ensino remoto, sem a necessidade de levar os filhos à unidadeFoto: Divulgação/PMS

"Brincar e se divertir com os amiguinhos". Esse era o desejo de Daniela Reis Augusto, 8 anos, aluna do 2° ano da escola Pe. Waldemar Valle Martins (Macuco), no retorno às aulas nesta quinta-feira (22). Após recesso escolar, as unidades da rede municipal receberam as crianças, ainda de forma híbrida, mas já de olho na mudança prevista para dia 2 de agosto, quando poderão receber até 100% dos alunos, todos os dias, de acordo com novas orientações do Plano São Paulo de combate à covid-19 e de acordo com a capacidade estrutural de cada unidade, avaliada pelos supervisores de ensino.

Neste retorno de até 100% dos alunos, os pais vão poder optar pelo ensino remoto, sem a necessidade de levar os filhos à unidade, principalmente os que apresentam alguma comorbidade. A diretora da Pe. Waldemar, Andrea Simões Torres, afirmou que está ouvindo a comunidade escolar do bairro para organizar o dia a dia.

"Estamos ouvindo os pais para saber o que pensam sobre esse retorno e se vão aderir. Estamos nos preparando, tomando todas as precauções para o distanciamento das carteiras em sala de aula, que agora vai ser de um metro; também temos reuniões marcadas com a Secretaria de Educação para definir os últimos detalhes do que vai ser adotado a partir de 2 de agosto", explica Andrea.

UM METRO DE DISTÂNCIA

Segundo a secretária adjunta de Educação, Maria Helena Marques, o que muda é o distanciamento de um metro entre os alunos em todas as atividades desenvolvidas na escola. "Os alunos têm o direito, por lei, de ter o seu metro quadrado dentro da sala de aula, mas agora o que vamos organizar é que eles tenham esse metro quadrado em todos os espaços da escola, inclusive nas rodas de conversa e na hora do lanche. Nosso foco principal é no retorno presencial às aulas com toda a segurança", garante Maria Helena.

A professora adjunta Magda Maximina dos Santos disse que os alunos estavam ansiosos pelo retorno. "Eles sentem falta dessa aproximação. É um momento de troca muito rico. Temos respeitado e observado todos os cuidados sanitários para esse retorno, mas também tem essa felicidade de poder conversar e interagir com eles presencialmente".

Sem ter irmãos, o aluno Lucas de Carvalho, 6 anos, estava contente com o retorno. "Tava cansado de ficar em casa, tenho muitos primos, mas estava com saudades dos meus amiguinhos".