Equipe de reforma do Hospital dos Estivadores vai ser ampliada neste mês

Neste mês, a equipe de trabalho da construtora Lemam, responsável pelos serviços, vai crescer de 140 para 180 trabalhadores, de acordo com a logística do plano de trabalho

Comentar
Compartilhar
02 MAI 201519h57

As obras do Hospital de Clínicas e Maternidade, antigo Hospital dos Estivadores (Av. Conselheiro Nébias, 401), vão ganhar um reforço de mão de obra. Neste mês, a equipe de trabalho da construtora Lemam, responsável pelos serviços, vai crescer de 140 para 180 trabalhadores, de acordo com a logística do plano de trabalho.

Trata-se de uma obra que compreende o aproveitamento de parte da edificação já existente e ampliação para uma área total de 11.618,15m². O trabalho é criterioso porque conforme é feita a demolição dos elementos, vão sendo identificados fatos novos que alteram o cronograma original da obra. Como trata-se de reforma, estes novos fatos podem interferir no prazo e no custo.

Durante as demolições foram detectados problemas estruturais nas edificações existentes. Trata-se de falhas de fundação na estrutura dos prédios existentes que não são passíveis de identificação quando da execução do projeto executivo inicial. Por conta disso, os demais projetos complementares também tiveram que ser revisados.

Devido às alterações no projeto executivo, o prazo de término dos serviços foi aditado para fevereiro de 2016. Portanto, não houve atraso da empresa no cronograma inicial da obra, mas adequação aos novos serviços que foram incluídos a partir da identificação dos problemas estruturais.  O investimento para execução é de R$ 25,8 milhões, recursos do governo estadual e do município. A Prefeitura ainda está definindo alterações de valores conforme o cumprimento de cada etapa.

As obras do antigo Hospital dos Estivadores vão ganhar um reforço de mão de obra (Foto: Divulgação)

Complexo em blocos 

O Hospital será divido em quatro blocos. No bloco “A” ficará o atendimento imediato, recepção da maternidade e consultório no piso térreo; centros Cirúrgico e Obstétrico no primeiro pavimento; e UTIs Adulto e Neonatal no segundo andar.

O bloco “B”, o maior de todos, contará com Raios-X e tomografia no térreo; laboratório, vestiário e Centro Cirúrgico no primeiro pavimento; almoxarifado no 3º; internação da Maternidade no 4º; e do 5º ao 10º andares, internação hospital de clínicas.

A entrada principal será o bloco “C”, com recepção no térreo, pela rua João Guerra e auditório no primeiro andar. Já o bloco “D” será destinado a cozinha hospitalar e vestiários no térreo; central de esterilização, refeitório, agência transfusional no primeiro pavimento; e farmácia, posto de coleta de leite e administração no segundo pavimento.