Entidade celebra Dia do Surdo em busca de verbas

Pouco conhecida pelo público em geral, instituição é responsável por receber pessoas com deficiência auditiva

Comentar
Compartilhar
26 SET 2019Por LG Rodrigues08h00
Pouco conhecida pelo público em geral, a congregação fica localizada na Rua Tocantins, 4, no bairro do Gonzaga e aceita doaçõesFoto: Nair Bueno/DL

Um lugar para aprendizado, aceitação, compreensão e celebração. Neste dia Nacional do Surdo, uma congregação de Santos reúne seus frequentadores, portadores de deficiência auditiva, para comemorar os mais de 60 anos da instituição, ao mesmo tempo em que tenta chamar a atenção da população e das autoridades para poder continuar prestando apoio a todos os que buscam a congregação atrás de ajuda.

A Congregação Santista de Surdos começou a sua história ainda em 1957, quando um grupo de pessoas com deficiência auditiva passou a se reunir para conversar uns com os outros e criaram amizade. O que no começo não passava de um simples encontro acabou se tornando uma instituição com mais de 62 anos de fundação.

Pouco conhecida pelo público em geral, a congregação fica localizada na Rua Tocantins, 4, no bairro do Gonzaga, e é responsável por receber pessoas com deficiência auditiva e oferecer gratuitamente diversas atividades e cursos para quem procura o local. A Congregação Santista de Surdos é uma entidade filantrópica sem fins lucrativos.

"A gente tem os cursos de libra que ajuda a custear, apenas para manter a congregação e fazer a manutenção do imóvel. Pessoas com deficiência auditiva, porém, não pagam nada pelos cursos e apenas os ouvintes precisam pagar uma taxa para participar das aulas", afirma a intérprete de libras e coordenadora de cursos, Alessa Alves.

Há alguns meses, a instituição possuía um contrato em parceria com a prefeitura de Guarujá que ajudava a arcar com os gastos da congregação e os cursos chegaram para suprir a falta que a verba está fazendo. Segundo Alessa, uma unidade será aberta em Guarujá nos próximos meses.

As pessoas com deficiência auditiva podem aprender a Língua Brasileira de Sinais (Libras), fazer cursos de informática, capoeira, matemática, culinária e receber até mesmo atendimento psicológico. Tudo isso, sem custo algum. Dentre as inúmeras pessoas que passaram pelo local e acabaram adotando-o para o resto da vida está a instrutora Lucilia Thal Lopes.

Também deficiente auditiva, ela morava em São Paulo e conhecia a congregação por causa das festas, mas frequentava esporadicamente o local. Após se mudar para o litoral, ela começou a aprender a língua de sinais na congregação ainda em 2005 e hoje é uma das muitas instrutoras.

"Perdi as contas de quantos estudantes tive porque às vezes tenho turmas de dez alunos e eles acabam o curso e logo na sequência já recebo mais 15 ou 20 então é difícil dizer quantas pessoas já ensinei", afirma.

Atualmente, a congregação atende ao menos 100 pessoas com deficiência auditiva entre crianças, adultos e idosos e há filas de espera para aulas durante os fins de semana. Todos os instrutores que trabalham no local são surdos e os alunos ouvintes estudam junto com colegas de classe que também são portadores de deficiência auditiva.

Apesar das dificuldades para conseguir se manter, a congregação realiza atualmente uma reforma que deverá ampliar o número de salas de aula para atender um número maior de estudantes. A procura pela instituição para se inscrever nas aulas passou por um aumento desde o começo do ano após o discurso em libras da primeira dama Michelle Bolsonaro durante a posse do presidente.

"Eu estou aqui há cinco anos e quando comecei a fazer o curso de libras eram duas turmas, uma de terça e outra de quinta-feira. Quando passei para o segundo curso era apenas a minha sala de aula, isso em 2013. Hoje em dia, porém, nós temos uma média de 5 a 7 cursos", explica Alessa.

Apesar disso, a congregação aceita ajuda com doações tanto de roupas, que são vendidas em um bazar no próprio local, quanto de outros itens que possam ser aproveitados para a própria entidade. Quem quiser enviar donativos, pode acessar o portal https://congregacaosurdos.wixsite.com/home ou entrar em contato pelo WhatsApp (13) 99648-1832. Já quem quer ir pessoalmente pode aproveitar a festa em celebração ao Dia Nacional do Surdo, que é realizada a partir das 14h de hoje no prédio da congregação.

 

Colunas

Contraponto