Entenda como está o cenário político para as eleições

“Política é quase tão excitante quanto a guerra, e quase tão perigosa. Na guerra, você é morto uma vez mas, em política, várias vezes.” (Winston Churchill).

Comentar
Compartilhar
26 AGO 2018Por Da Reportagem14h16
O atual presidente da OAB Santos, Luiz Fernando Rodrigues.O atual presidente da OAB Santos, Luiz Fernando Rodrigues.Foto: Rodrigo Montaldi/DL

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) realiza em novembro eleições para o triênio (19, 20 e 21) para o Conselho Estadual, Presidência e Diretoria Executiva da Seccional de São Paulo e presidente e diretoria das subseções. Em Santos, a confusão está desenhada.

O atual presidente da OAB Santos, Luiz Fernando Rodrigues, apesar de publicamente não assumir é candidato, já que tem seu vice definido e está pedindo indicações de jornalistas para cuidar da comunicação de sua campanha. Até aí nenhum problema. A situação começa a se agravar quando seguimos em direção à Capital.

Na eleição passada, Luiz Fernando Rodrigues teve o apoio de Marcos da Costa na disputa pela presidência da Subseção de Santos, mas Rodrigues acabou sendo derrotado por Rodrigo Julião que tentava a reeleição. Em função de acusações de irregularidades na campanha para o segundo mandato, Julião foi afastado da função.  Ele foi julgado pelo Conselho Federal da OAB, em Brasília, e quando a sentença transitou em julgado, Rodrigues, segundo colocado na disputa, assumiu o cargo.

Durante o imbróglio, a OAB/Santos passou a ser administrada por uma Comissão Interventora (nove meses). 

Nas próximas eleições, Marcos da Costa, que tenta a reeleição, recebeu o apoio do antigo oposicionista Ricardo Sayeg, um defensor incansável do fim das reeleições na OAB, inclusive, usou isso na sua campanha à presidência da Seccional São Paulo.  Sayeg resolveu juntar forças com Marcos da Costa, porém, teria pedido o apoio do atual presidente à candidatura de Julião  em Santos.  Em off, alguns advogados dizem que ouviram a história, mas não garantem que seja verdade.    
Na Semana Jurídica da UniSantos, Marcos da Costa esteve em Santos. 

Ficou lado a lado com Rodrigo Julião na mesa principal. Além disso, participaram juntos de um programa de rádio. Curioso, que o presidente Luiz Fernando Rodrigues não apareceu nas inúmeras fotos publicadas nas mídias sociais. Um indicativo que Rodrigues pode ter sido preterido e Marcos da Costa vai sim apoiar Julião, que para os amigos, revela que sairá candidato. Como está inelegível, a possibilidade é conseguir uma liminar na Justiça e sair candidato.

Na Capital, Costa está numa saia justa. Ele precisa decidir o que fazer com dois processos internos de Santos. Em um, auditoria externa aponta irregularidades no uso do dinheiro da OAB/Santos, por Rodrigo Julião. Em outro, a pedido de Julião, Luiz Fernando Rodrigues se defende de ter sido beneficiado por ter ficado sem pagar o Plano de Saúde durante sete anos, na gestão de Rodrigo Lyra. Por não ter cobrado as mensalidades do Plano de Saúde nem de Luiz Fernando nem de outro advogado, tendo sido o plano de saúde deles, pagos pela OAB/Santos, Lyra também foi arrolado em um processo.

Rodrigues  já teria ressarcido parte do dinheiro, mas outros advogados denunciados por Julião parece que nunca foram sequer cobrados pela OAB.  Costa terá que decidir o que fazer nos processos com os dois aliados de Santos, pensando no quanto isso pode influenciar em sua eleição na Seccional se nada fizer ou na de Santos se “canetar” os dois aliados.

Enquanto isso, apesar de não confirmar nada e desconversar sobre o assunto, o advogado Dave Prada faz sua campanha. Ele deve apoiar a candidatura de Caio Augusto Silva Dos Santos  à Seccional de São Paulo.