Enchentes matam pelo menos 52 na China

Mais de 250 mil pessoas foram transferidas para abrigos temporários, enquanto prédios e plantações sofreram grandes estragos

Comentar
Compartilhar
24 MAI 201511h38

O número de mortos nas mais recentes enchentes na China subiu para pelo menos 52, incluindo dois estudantes que estavam em um ônibus lotado que caiu em um açude, segundo autoridades. Pelo menos outras seis pessoas estão desaparecidas, em enchentes ocorridas em distritos montanhosos de seis províncias e regiões autônomas do centro e do sudeste do país.

Mais de 250 mil pessoas foram transferidas para abrigos temporários, enquanto prédios e plantações sofreram grandes estragos. Além dos dois estudantes do jardim da infância, 42 outras pessoas morreram por causa das chuvas e das enchentes, incluindo 16 que estavam em um prédio de nove andares que desabou na cidade de Guiyang, após um deslizamento de terra. Outras oito pessoas morreram na província de Hunan, no centro chinês, quando um ônibus saiu da pista.

O governo regional de Guangxi disse que 21 alunos de um jardim da infância foram levados ao hospital, no acidente de sexta-feira com o ônibus escolar. Três delas estão em estado grave. O ônibus tinha licença para levar 11 pessoas, mas havia 26 nele no momento do acidente. O motorista, professores e administradores da escola estão sob custódia, segundo o governo.

As chuvas sazonais causam grandes enchentes pela China quase todos os anos. O pior ano na história recente foi 1998, quando 4.150 pessoas morreram, a maioria no entorno do rio Yangtze. A represa das Três Gargantas conteve em grande medida as enchentes desse rio, mas o problema persiste em outras áreas do país.