Empreendedores já podem vender produtos no Comercializa Santos

O market place vai expor produtos de artesanato, gastronomia, design e decoração, bijuteria, acessórios, brinquedos, artigos religiosos e cosméticos

Comentar
Compartilhar
03 AGO 2020Por Da Reportagem16h30
Além do setor de vendas, a plataforma também oferece cursos e área voltada a desafios tecnológicos patrocinados por empresas da região, desenvolvidos com apoio do Parque TecnológicoFoto: DIVULGAÇÃO/PMS

Começaram nesta segunda-feira (3), as inscrições para o portal Comercializa Santos (www.comercializasantos.com.br), que vai expor e vender mercadorias de micro e pequenos empreendedores da Cidade, com o objetivo de desenvolver a economia criativa local.

Para acessar a plataforma de e-commerce, criada pelo Parque Tecnológico de Santos com o apoio da iniciativa privada, basta acessar o site, ler o regulamento e preencher o formulário.

O market place vai expor produtos de artesanato, gastronomia, design e decoração, bijuteria, acessórios, brinquedos, artigos religiosos e cosméticos, entre outros. Além do setor de vendas, a plataforma também oferece cursos e área voltada a desafios tecnológicos patrocinados por empresas da região, desenvolvidos com apoio do Parque Tecnológico.       

RETOMADA

O Comercializa Santos é parte do programa santista de retomada econômica. Trata-se de projeto colaborativo desenvolvido pela Fundação Parque Tecnológico de Santos, Amazon Web Services (AWS) e o hub de inovação Spacemoon. A plataforma é gerida pelo Escritório de Inovação Econômica, órgão subordinado à Secretaria Municipal de Governo (Segov), que faz a homologação das solicitações de cadastro e gerenciamento dos inscritos.

As transações financeiras realizadas por meio do portal são firmadas entre o expositor/vendedor e o comprador do produto, sem participação nos lucros de qualquer dos desenvolvedores da plataforma ou administradores, que atuam apenas como facilitadores e incentivadores de negócios.

Mesmo com a gratuidade de inscrições e hospedagem, o expositor está sujeito a cobrança de taxas conforme a modalidade de pagamento escolhida, praticadas pelas empresas que processam as transações financeiras.