Em Guarujá, chuva chega a 60% do esperado para o mês; confira balanço na Região

Já em Santos, o acumulado das últimas 72 horas é de 120,4mm e, no mês, 182,8mm. De acordo com a Defesa Civil, os morros estão em estado atenção

Comentar
Compartilhar
16 MAI 2019Por Pedro Henrique Fonseca17h20
Registro feito na Avenida Monteiro Lobato, em São VicenteFoto: Nair Bueno/DL

O mau tempo que atinge a Baixada Santista fez com que em Guarujá o acumulado de chuvas das últimas 24 horas chegasse a 108 milímetros. O número equivale a 60% do que era esperado para o mês. O acumulado mensal até o o momento é de 135,1 milímetros. Segundo a Defesa Civil, a máxima dos ventos nas últimas 24 horas foi de 29 km/h (15/5 – 17h). Foram registrados uma queda de árvore e um escorregamento de pequeno porte no Morro do Maluf, ambos sem vítimas.

Já em Santos, o acumulado das últimas 72 horas é de 120,4mm e, no mês, 182,8mm. De acordo com a Defesa Civil, os morros estão em estado atenção e foram registradas três novas ocorrências: uma queda de árvore na Rua Torquato Dias, no Morro da Nova Cintra, um pequeno deslizamento no Caminho Central, no Morro do Saboó e uma queda de revestimento na Rua Alexandre Rodrigues, no Valongo. Pela manhã, houve duas quedas de árvores de pequeno porte. Uma na Rua Enguaguaçu, na Ponta da Praia e a outra na Avenida Guilherme Russo, no Morro da Nova Cintra.

No Trânsito, a CET-Santos informa que a Avenida N. Sra. de Fátima segue com alagamentos nos dois sentidos, na altura das Ruas Ana Santos, Bóris Kauffmann e Mário de Andrade, mas ainda transitável pela faixa da esquerda. A recomendação é para que os motoristas evitem a área e utilizem rotas alternativas pelo morro ou orla. A Avenida Martins Fontes registrou pontos de alagamento, mas continua com condições de tráfego, nos dois sentidos.

A Prefeitura de São Vicente, por meio da Defesa Civil do Município, informa que o índice acumulado de chuvas nas últimas 72 horas foi de 176,6 mm e que segue monitorando os morros da Cidade. No momento, o nível é de atenção, justamente por causa do índice pluviométrico. Há registro de alagamentos nas áreas próximas aos canais. A Defesa Civil também informa que registrou a queda de duas árvores. Uma na Rua Benedito Calixto, no Parque Prainha, e outra na Avenida Tupiniquins, no Japuí. A Prefeitura já trabalha na remoção de ambas e solicita aos moradores que entrem em contato, por meio do número 199, caso observem água barrenta, trincas ou rachaduras em seus imóveis.

Em Praia Grande, a prefeitura que não houve registros de ocorrências relacionadas à chuva que atingiu a Cidade entre a noite de quarta-feira (15) e a manhã de quinta-feira (16). Nas últimas 24 horas o índice pluviométrico na Cidade atingiu 63 mm, segundo a Defesa Civil. A Administração Municipal informa que caso o munícipe note qualquer anormalidade em decorrência das chuvas ou ventos fortes pode acionar a Defesa Civil pelo telefone 199, cujo atendimento é feito 24 horas por dia.

A Defesa Civil de Cubatão informa que não houve registro de ocorrências no município. O acumulado na manhã desta quinta-feira é de 53mm. 

Em Bertioga, a situação é a mesma. A Defesa Civil não recebeu nenhum chamado de ocorrência. No Centro choveu 20mm e no bairro Vista Linda 36 mm, no acumulado das últimas 72 horas.

Litoral Sul

Em Mongaguá, nas últimas 24 horas, choveu 42,03 milímetros, volume acima do normal e considerado bastante alto. Por ora, nenhuma ocorrência foi registrada pela Defesa Civil. De qualquer maneira, as equipes estão em alerta e monitorando a situação.

Em Itanhaém, houve alguns pontos de alagamentos, no entanto, a Defesa Civil do Município já foi acionada e está tudo sob controle.

EM Peruíbe, a prefeitura informa que não houve ocorrência com chuvas, ventos ou outros possíveis problemas causados por condições climáticas.

Balsas

Segundo órgãos de meteorologia e a Marinha do Brasil, com a chegada da frente fria ao litoral paulista, há previsão de ventos fortes, mar agitado e ressaca até o fim da semana. Em razão disso, a Dersa informa que as travessias litorâneas, podem ser afetadas, provocando lentidão e até paralisações.

Em razão das fortes chuvas, também é importante que os motoristas redobrem a atenção nos momentos de embarque e desembarque para evitar acidentes.

A orientação é que os usuários programem a viagem antecipadamente e acompanhem as informações pelos seguintes canais: site www.dersa.sp.gov.br; Twitter @travessiasdersa, telefone 0800 7733 711 e aplicativo Travessias, disponível gratuitamente para sistemas Android e IOS.

Colunas

Contraponto