Em 100 dias de governo, São Vicente aponta mudanças

Sem recursos e no pior período da pandemia, gestão municipal avança degrau por degrau e mostra que a cidade agora segue em outra direção

Comentar
Compartilhar
11 ABR 2021Por Da Reportagem11h25
Obras de zeladoria e manutenção em bairros.Obras de zeladoria e manutenção em bairros.Foto: Divulgação/PMSV

Encontrar uma casa em desordem e com os cofres vazios no meio de uma pandemia sem precedentes, exigiu firmeza e coragem da gestão municipal.

Firmeza para não perder o foco de administrar com olhar técnico e buscar a maior eficiência sempre. Coragem para enfrentar momentos de decisões difíceis, amargas, mas necessárias.

Ao chegar à emblemática marca de 100 dias de governo, a gestão Kayo Amado consolida uma mudança de rumo e aponta os avanços obtidos em 0,06% do tempo total de um mandato de 4 anos.

Até aqui, foram pouco mais de três meses, em que a missão principal foi salvar vidas, ou pelo menos, minimizar o sofrimento de tantos doentes pela Covid-19. Nesse sentido, a Saúde ganhou atenção especial da atual gestão que, entre as medidas mais urgentes, inaugurou a ala Covid, dentro do Hospital São José e aumentou a quantidade de leitos de enfermaria e UTI. Isso possibilitou desafogar o fluxo de pacientes do Hospital Municipal.

Atento ao avanço da doença e ao cenário de colapso em toda a Baixada Santista, o prefeito Kayo Amado sugeriu ao Governo do Estado utilizar o PA da Linha Vermelha como hospital de Campanha, custeado pelo Estado. A unidade foi construída na gestão passada, mas não chegou a ser inaugurada por falta de recursos e de profissionais para trabalhar lá. A ideia ainda é analisada pelo governo paulista e, se concretizada, vai abrir 60 novos leitos na região.

Além da campanha de vacinação contra a Covid-19, que contou com rigoroso planejamento para que não faltassem doses do imunizante, a Prefeitura também atuou para resolver problemas antigos e conseguiu garantir  o reabastecimento de insumos e medicamentos, o pagamento de dívidas com fornecedores e organizações sociais, a contratação temporária de profissionais de saúde e o desbloqueio de quase um milhão de reais de recursos estaduais destinados à saúde, referentes ao 2o semestre de 2020.

No auge da pandemia, com escassez de leitos e aumento no número de casos, foi criado o cadastro de vacinas remanescentes para pessoas acima de 60 anos, evitando assim o desperdício de qualquer lote aberto de imunizante. São Vicente também foi a primeira cidade da região a aprovar a lei para o consórcio de prefeituras para a compra de vacinas, além de criar um serviço de assistência pós-covid-19 para o tratamento de pacientes com seqüelas da doença.

As regras mais restritivas de distanciamento social impostas pela pandemia, como fechamento do comércio e das praias, geraram impactos econômicos à sociedade e, diante deste quadro, outras medidas foram adotadas pelo Executivo Municipal: prorrogação do prazo para pagamento de IPTU e ISS e isenção  da taxa de vigilância sanitária para o comércio, solicitação de suspensão do corte de fornecimento de água e energia elétrica por falta de pagamento, aumento da fiscalização, multas pelo não uso de máscaras, barreiras sanitárias e campanhas de conscientização nas ruas e nas redes sociais.

Na hora em que foi possível reabrir o comércio com restrições, mais uma vez a Administração Municipal mostrou sensibilidade e coragem ao liberar o funcionamento das feiras livres com protocolo sanitário específico. A Feira Segura, com disponibilização de sanitários, máscaras, protetores face shield, álcool gel, distanciamento entre clientes, aferição de temperatura e acesso controlado, tornou-se modelo para outras cidades da região.

Zeladoria

Desde o primeiro dia do ano, a Prefeitura Municipal arregaçou as mangas e priorizou os serviços de zeladoria da Cidade. Recompor os estoques do almoxarifado e garantir equipamentos de proteção individual (EPIs) aos servidores foi o primeiro passo para que fosse possível viabilizar os serviços de pintura, manutenção viária, desobstrução e limpeza de canais, calçamento, roçagem, drenagem e manutenção predial.

Os mutirões também se tornaram uma marca deste novo governo. O Mutirão das Escolas teve mais de 800 voluntários inscritos e o de Limpeza dos Canais, promovido pela Semam, mobilizou servidores e sociedade. Além desses, São Vicente contou o mutirão do projeto Memória Viva, de plantio de árvores no Município em memória das vítimas da Covid-19 e os mutirões de recuperação dos espaços esportivos.

Nestes 100 dias também foram realizados serviços de contenção de encostas, reforma de equipamentos públicos, como o Centro Pop, o Conselho Tutelar e o Ginásio Dondinho, sem falar da zeladoria da Área Continental, que fez a roçagem de mais 151 mil metros quadrados de área entre praças e vias, removeu quase 6 mil metros cúbicos de entulho e aplicou 277 toneladas de asfalto.

Gestão

Sanear as finanças municipais é um dos maiores desafios do gestor público e em São Vicente a tarefa contou com dedicação total das Secretarias da Fazenda, Administração e Planejamento.

Nos primeiros quatro dias, a Prefeitura já havia conseguido colocar em dia os salários atrasados dos servidores. Já no primeiro mês, iniciou uma análise de todos os contratos de fornecedores e de aluguéis, além do levantamento da dívida total do município. A partir daí, contratos foram renegociados e imóveis foram devolvidos. Corte de horas extras desnecessárias, estruturas mais enxutas, parceria com a iniciativa privada e ordem de redução de 30% nas despesas de toda a máquina pública representaram o ponto de partida da gestão para o longo caminho de recuperação da economia do Município. A Prefeitura de São Vicente tem ainda como metas a modernização tecnológica,   reforma administrativa e programa de eficiência dos serviços públicos municipais.

Educação, turismo, cultura, assistência social, meio ambiente, esportes, habitação, comunicação, transporte e segurança também colecionam avanços importantes neste início de governo. É uma nova forma de fazer gestão pública, com transparência, integração entre secretarias técnicas, comunicação instantânea, interação com o munícipe, forte presença nas redes sociais e com prioridade total às pessoas. Com o pensamento no presente, mas o olhar atento para o futuro, estes 100 dias iniciais de governo já apontam para o grande objetivo do prefeito Kayo Amado: fazer de São Vicente uma cidade que resgate o orgulho de ser vicentino.

“Degrau por degrau, um dia de cada vez, as coisas vão acontecendo. Com dificuldade, às vezes mais devagar do que gostaríamos, mas após 100 dias a gente conseguiu virar a chave e está colocando São Vicente no trajeto certo. A pandemia trouxe desafios inimagináveis para todos os gestores e todas as prioridades se resumiram em uma só: proteger a vida das pessoas. E é com este conceito, de fazer uma cidade para as pessoas, que avançamos um degrau a cada dia e, assim, São Vicente vai se tornando a cidade que tanto desejamos”, explicou o prefeito Kayo Amado.