Egito condena quatro homens por cometerem atos homossexuais

A polícia prendeu os homens por organizarem festas nas quais, segundo os oficiais, haviam atos homossexuais e foram encontradas roupas e maquiagens femininas

Comentar
Compartilhar
07 ABR 201420h23

Um tribunal do Egito acusou quatro homens de cometer atos homossexuais e os sentenciou até oito anos de prisão, informou um funcionário da corte do país nesta segunda-feira.

A corte de delitos menores do país emitiu sua decisão nesta segunda-feira. A polícia prendeu os homens por organizarem festas nas quais, segundo os oficiais, haviam atos homossexuais e foram encontradas roupas e maquiagens femininas.

Três dos quatro homens receberam uma pena de oito anos de prisão e um deles terá de enfrentar trabalhos forçados por três anos.

Em 2011, 52 homens foram acusados de serem gays e atraíram grande atenção internacional e as críticas de grupos defensores de direitos humanos.

A lei do Egito não faz referência específica à homossexualidade, porém condena os atos de "libertinagem", nos quais, na interpretação de juízes do país, os gays se enquadrariam.

Um tribunal do Egito acusou quatro homens de cometer atos homossexuais e os sentenciou até oito anos de prisão (Foto: Divulgação)