Educadoras protestam contra adiamento de projeto por 2 sessões

A emenda de autoria do vereador Arnaldo do Nascimento (PDT) nem chegou a ser discutida

Comentar
Compartilhar
19 FEV 201321h58

Após seis horas de calorosas discussões e deboches, a sessão da Câmara de Guarujá, com 36 itens na pauta, terminou sem nenhuma aprovação, o que gerou protestos das diretoras de escola da rede municipal, que aguardavam pela votação de emenda que revoga o certificado de qualificação, previsto na atual lei municipal 3.193/2005 para a categoria. 

A emenda de autoria do vereador Arnaldo do Nascimento (PDT) nem chegou a ser discutida. Às 21h10, o líder de Governo, Ituo Sato, pediu o adiamento da propositura por duas sessões, o que foi acolhido pela bancada governista, sob protestos da categoria, que ficou “indignada com o descaso”, gritou uma das professoras.

A categoria é contra a emenda que revoga a concessão de certificado que habilita educadores para assumirem cargos de diretoria. Já o autor da emenda explicou que o certificado beneficia uma pequena parcela dos educadores. “Estou propondo que qualquer um dos mais de dois mil professores da rede pública com apenas formação em pedagogia possa assumir uma diretoria. Hoje, apenas 300 possuem o certificado”, disse Arnaldo.

Porém, o foco das discussões foi a crise no Hospital Santo Amaro, onde médicos estão com salários atrasados há três meses porque a Prefeitura não repassava a subvenção mensal de R$ 350 mil há dois. O repasse de agosto foi feito na segunda-feira.

Apesar das cobranças dos oposicionistas sobre a real situação do único hospital da Cidade, e contra a ingerência na intervenção da Prefeitura, Sato poupou o Executivo sob o argumento da falta de investimentos do Estado e do Governo Federal na Saúde do Município. O requerimento de Marcelo Mariano pedindo esclarecimentos sobre o Hospital foi rejeitado juntamente com mais 30 pautados ontem, de assuntos diversos. Outros cinco textos foram adiados.

Rumores

O presidente da Casa, Carlos Eduardo Pirani, abriu a sessão e pediu dispensa, não retornando mais ao plenário. Nos bastidores da Câmara, vereadores comentavam sobre suposta ruptura de Pirani com o prefeito Farid Madi e sua eventual desfiliação do PDT. Há especulações de que Pirani possa ingressar no PRP para concorrer à prefeito, nas eleições de 2008. Pirani não foi encontrado para confirmar as especulações.