Educação, Saúde e Assistência Social discutem a inclusão

Em Itanhaém, a inclusão já passa dos 300 alunos inseridos nas escolas municipais.

Comentar
Compartilhar
07 FEV 201315h06

Profissionais que atuam na área da Educação, Saúde e Assistência Social de Itanhaém e outros municípios se reuniram na manhã da última sexta-feira (1º) para discutir questões ligadas diretamente à inclusão de alunos com deficiência em toda a rede municipal de ensino. O encontro foi promovido na sede do Programa Cuidar.

Durante o encontro, a equipe de educação mostrou que já é realidade a permanência de alunos com deficiência em sala de aulado ensino regular das escolas municipais. “As ações vêm sendo promovidas e, principalmente, surtindo efeito positivo entre os nossos alunos”, conta a coordenadora de Educação Especial Inclusiva, Fabrícia Cavalcante.

Em Itanhaém, no entanto, a inclusão já passa dos 300 alunos, sendo que na maioria dos casos, os estudantes recebem o acompanhamento em classe por profissionais da área da educação em parceria com a equipe de saúde e a assistência social.

Os estudantes também têm o benefício das Salas de Recursos Multifuncional, onde são realizados o Atendimento Educacional Especializado (AEE). Trata-se de um espaço voltado ao aprimoramento do aluno, atuando no contraturno da unidade. As aç

ões se integram aos compromissos do Projeto Político Pedagógico da Escola.

Segundo o médico psiquiatra e também supervisor técnico do Programa Cuidar, Gustavo Manoel, o projeto está no Município há quase dois anos. “Temos a inserção da saúde com a educação para crianças, adultos e família. É importante que esses setores estejam envolvidos”.

 O encontro discutiu questões ligadas diretamente à educação inclusiva de alunos com deficiência (Foto: Divulgação)