Governo SP

Ecovias promove ação para conscientizar pedestres e reduzir atropelamentos

O atropelamento é a principal causa de morte nas estradas administradas pela Ecovias

Comentar
Compartilhar
26 NOV 201214h36

A dupla Glorinha e Kalil, formada por uma professora de etiqueta e seu desastrado estagiário, estarão presentes nesta terça-feira, dia 27 de novembro, no Café na Passarela da Ecovias.

Durante o evento, que tem o objetivo de conscientizar a população de comunidades vizinhas às rodovias sobre a importância de realizar uma travessia segura, os personagens contam aos pedestres e ciclistas como é “cafona” atravessar a rodovia fora da passarela, e como o equipamento tornou-se  a “última moda em Paris e Milão”.
   
“Optamos por trabalhar com bom humor para reforçar a importância da utilização da passarela sempre que houver a necessidade de cruzar a rodovia. O intuito é chamar mais a atenção das comunidades localizadas no entorno da rodovia e aumentar a retenção da mensagem”, explica Eduardo Di Gregório, gerente de Atendimento ao Usuário da Ecovias.
 
O Café na Passarela acontece no km 62,4 da Anchieta (sentido litoral), em Santos, das 6h às 9h. O local foi escolhido devido ao número de atropelamentos ocorridos de janeiro a outubro desse ano no trecho do litoral da Anchieta, entre o km 55 e o km 65. Ao todo, 13 atropelamentos, com oito vítimas fatais foram registrados. No mesmo período do ano passado, aconteceram seis atropelamentos e apenas uma vítima fatal.
 
Cenário
 
Ao longo dos 177 quilômetros de extensão do Sistema Anchieta-Imigrantes, pedestres e ciclistas contam atualmente com 61 passarelas – uma das maiores concentrações dentre as rodovias do Estado –, sendo que a maior parte dos equipamentos está concentrada em áreas urbanas.
 
O atropelamento é a principal causa de morte nas estradas administradas pela Ecovias, representando 39% do total. Apenas na Anchieta, foram registradas 14 mortes por atropelamento entre janeiro e outubro de 2012.  No mesmo período do ano passado, foram 
sete.  
 
Das 68 mortes registradas no Sistema Anchieta-Imigrantes em 2012, 25 foram provocadas por atropelamento. No ano passado foram computadas 114 mortes, 35 provocadas por atropelamento. Dessas ocorrências com vítimas fatais, 19% ocorreram a menos de 100 metros de uma passarela.
 
Além das intervenções de conscientização, colocação de telas, barreiras e muretas que inibem a travessia de forma insegura das rodovias, a instalação de radares e sinalização para a redução de velocidade em áreas urbanas são parte do Programa de Redução de Acidentes (PRA) da Ecovias, que tem o objetivo de reduzir o número de acidentes no SAI.

Colunas

Contraponto