Ecovias faz operação especial de Natal

Ações são necessárias para melhorar o fluxo de veículos que vêm ao Litoral

Comentar
Compartilhar
24 DEZ 2019Por Vanessa Pimentel07h25
Hoje (24), a operação é normal (5x5). Já no dia 25, será aplicada a Operação Descida Anchieta (4x6), das 16h às 21h59. Na quinta-feira (26), começa a Operação Descida Imigrantes (7x3), das 9h às 19h59Foto: Nair Bueno / Diário do Litoral

Para atender aos mais de 3,3 milhões de veículos previstos para descer a serra em direção às praias da Baixada Santista, a Ecovias preparou operações especiais nos feriadões. No dia 24, a operação é normal (5x5). Já no dia 25, será aplicada a Operação Descida Anchieta (4x6), das 16h às 21h59. Na quinta-feira (26), começa a Operação Descida Imigrantes (7x3), das 9h às 19h59.

Teve início também, na última sexta-feira (20), a Operação Verão Seguro 2019/2020 nas rodovias paulistas. O objetivo é minimizar os impactos do intenso fluxo de veículos que ocorre nessa época do ano. Até fevereiro, quando a operação será encerrada, as concessionárias de rodovias intensificam o monitoramento das pistas, assim como a operação e os serviços de atendimento médico e mecânico para acompanhar o aumento do tráfego.

Durante a Operação Verão Seguro, as concessionárias dimensionam suas equipes de atendimento de acordo com o volume de veículos que irá utilizar a malha nos diferentes períodos dessa época do ano.

Entre as medidas operacionais adotadas pelas 20 concessionárias do Programa de Concessões Rodoviárias estão o reforço de pessoal, implantação de escalas especiais de equipes de praça de pedágio e de atendimento operacional (guinchos, ambulâncias, veículos de vistoria de tráfego, entre outros), sempre de acordo com a previsão de aumento do tráfego.

Nas praças de pedágio, quando necessário, as empresas adotam a "Operação Papa Fila", em que a cobrança é realizada antecipadamente, ainda na fila, para facilitar o escoamento do tráfego.

As concessionárias também reforçam a comunicação com o usuário seja através de mídias sociais, imprensa ou dos 387 painéis de mensagens eletrônicos da malha concedida, orientando sobre os melhores horários para viajar e alertando para trechos de lentidão.

Outra medida é a restrição na circulação de cargas especiais em determinados períodos para manutenção da fluidez.

CUIDADOS.
Para viajar com conforto e segurança, alguns cuidados são importantes e começam antes mesmo de sair de casa. Verificar os freios, amortecedores, luzes, óleo e pneus, inclusive a calibragem, são condições básicas para pegar a estrada. Os níveis da água do radiador e do limpador de para-brisa também devem ser checados.

É importante manter a documentação do veículo e do motorista em dia. Além disso, o condutor não deve esquecer os equipamentos obrigatórios como macaco, chave de roda, triângulo para sinalização e estepe. É essencial que o motorista descanse no dia anterior à viagem e consuma alimentos leves para evitar a sonolência.

Os viajantes também devem avaliar a melhor rota e, sempre que possível, evitar os horários de pico. É importante, também, ter anotado num papel ou gravado no celular o telefone 0800 de atendimento das concessionárias responsáveis pelas rodovias que for utilizar.

EMERGÊNCIAS.
É importante ter em mãos os telefones de atendimento das operadoras das rodovias e da Polícia Militar Rodoviária para eventuais emergências. O serviço de ajuda ao usuário, prestado pelas concessionárias, é gratuito e está disponível 24 horas. O atendimento auxilia desde uma simples troca de pneu até a remoção de vítimas de acidentes e prestação de primeiros socorros.

Os contatos de emergência são: ECOVIAS 0800.19.78.78 / ARTESP 0800.727.83.77 / DER 0800.055.55.10 / POLÍCIA MILITAR RODOVIÁRIA SP (11) 3327-2727 / DERSA 0800.7266.300.

VIAGENS DE ÔNIBUS.
Quem for viajar com os ônibus deve ficar atento à segurança e nunca contratar empresas clandestinas. A ARTESP irá intensificar a fiscalização nas rodovias para coibir os irregulares.

O serviço clandestino expõe os passageiros a riscos, uma vez que o veículo não é vistoriado para esse fim e não há garantia de que o motorista seja devidamente habilitado.