Ecovias é condenada a indenizar casal vítima de acidente

A Ecovias, concessionária do Sistema Anchieta-Imigrantes foi condenada a indenizar um casal que foi vítima do engavetamento ocorrido no dia 15 de setembro de 2011, na Rodovia dos Imigrantes, na pista sentido Capital.

Comentar
Compartilhar
28 NOV 201200h00

A ação foi impetrada no Fórum Cível de Itanhaém e a sentença foi proferida na última terça-feira. A juíza Helen Cristina de Melo Alexandre, do Juizado Especial Cível da Comarca de Itanhaém, julgou procedente o pedido de indenização por danos morais do casal e condenou a Ecovias ao pagamento da quantia de R$ 3 mil para cada um dos autores, atualizada e com juros de mora de 1% ao mês, ambos a partir do arbitramento.

Conforme noticiado na época, o megaengavetamento aconteceu no km 41 da pista ascendente da Imigrantes, na altura de São Bernardo do Campo, por volta das 12h50, e envolveu cerca de 300 veículos. Uma pessoa morreu. Conforme a sentença disponível no site do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP), “trata-se de ação de indenização por danos morais em que os autores alegam que na data de 15.09.11 foram vítimas de acidente de trânsito ocorrido na Rodovia dos Imigrantes sentido-Capital, o que redundou no imenso engavetamento de veículos. Relatam que na data dos fatos pairava forte neblina, entretanto não havia qualquer placa de sinalização indicativa. Afirmam que tiveram que aguardar por socorro por 12 horas para serem removidos do local, embaixo de chuva sem qualquer respaldo da concessionária ré. Afirmam ainda que em virtude do impacto passaram a sofrer dores na região da coluna, bem como ficaram por mais de trinta dias sem veículo”.

Segundo o advogado do casal, Simon Zveiter, o valor da indenização “é suportável, mas poderia ter sido maior”. Zveiter disse ainda ao DL que caso a Ecovias recorra da sentença, ele também impetrará novo recurso com pedido de aumento da indenização do casal. Zveiter comemora a decisão da Justiça de Itanhaém, pois no Fórum de Santos, o pedido de indenização da vítima, uma idosa de mais de 90 anos de idade, foi indeferido em setembro. Neste caso recorreu em segunda instância junto ao Colégio Recursal. O advogado representa mais cinco vítimas do acidente e aguarda as sentenças. Procurada, a assessoria de imprensa da Ecovias informou que a concessionária se pronunciará hoje sobre o caso.