Eco Ponto coleta 25 toneladas de lixo em um ano

Local serve para moradores e turistas descartarem materiais inservíveis

Comentar
Compartilhar
18 JAN 201311h25

Criado para evitar o descarte de materiais inservíveis em locais indevidos, o Eco Ponto comemorou um ano de serviços prestados à comunidade, na última quarta-feira (16). Neste período, o equipamento, que fica na esquina das ruas Jorge Alves Maciel e Jorge Hagge, no Bairro Aviação, coletou 25.143 quilos de lixo, impedindo que fossem depositados incorretamente em vias públicas e terrenos baldios.

De acordo com a Secretaria de Serviços Urbanos (Sesurb), responsável por coordenar o serviço, restos de madeira e entulhos de construção são os produtos mais coletados. Diariamente, uma média de 15 a 20 pessoas fazem o descarte de material no equipamento, composto por seis caçambas. Nos finais de semana, o número de pessoas que utilizam o serviço cai para seis pessoas.

No Eco Ponto, cada caçamba tem capacidade para comportar até quatro metros cúbicos de resíduos. Os interessados podem descartar os seguintes materiais: vidro, papel, plástico, entulho, metal e madeira. A unidade funciona de segunda a sexta-feira, das 8 às 17 horas.

Madeiras e restos da construção civil são os mais descartados. (Foto: Jairo Marcos/ Divulgação)

O resultado tem dado tão certo que a Prefeitura de Praia Grande pretende criar mais unidades como esta. O serviço está previsto pelo Plano Municipal de Resíduos Sólidos, aprovado no final do mês de outubro do ano passado, pela Câmara dos Vereadores. Entretanto, segundo o secretário de Serviços Urbanos, Katsu Yonamine, o nome projeto deve mudar de Eco Ponto para Pontos de Entrega Voluntários (PEVs). “Temos cerca de 40 pontos críticos na Cidade, onde a população joga entulhos, móveis velhos, aparelhos eletrônicos e eletrodomésticos e precisamos evitar que essa prática ainda continue. Para isso, veremos espaços próximos aos locais críticos e assim aumentar o alcance de atendimento do projeto”, disse.